Comparação Entre Protocolos de Avaliação da Capacidade de Sprints Repetidos com Duas e Cinco Mudanças de Direção em Jogadores de Basquetebol

Por: A. M. Zagatto, F. A. Barbieri, F. Milioni, G. M. Claus e R. A. B. Poli.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

O basquetebol é um esporte intermitente que demanda a realização de repetidos sprints em alta intensidade juntamente com constantes mudanças de direção (MD) durante a execução das ações de jogo. Logo, a avaliação da habilidade de esforços repetidos (RSA) com MD assume grande importância e ainda foi pouco abordada na literatura, especialmente em relação a quantidade ideal de MDs que um protocolo deve abordar. Dessa forma, o presente estudo teve como objetivo comparar dois protocolos de avaliação de RSA com diferente número de MD (2 MD -RSA2MD; 5 MD -RSA5MD). Participaram do estudo 20 jogadores de basquetebol (idade: 17±1 anos, altura: 1,91±0,08 m, massa corporal: 84,5±12,3 kg,). Os atletas realizaram inicialmente o RSA2MD, que consiste em 10 corridas máximas de 30 m com 2 MD de 180°(10+10+10m) e intervalo de 30s entre cada corrida. Após 72 h de intervalo, os participantes realizaram o protocolo de RSA5MD, o qual também foi composto por 10 corridas máximas de 30 m, mas com 3 MD direção de 180° e 2 MD de 90° (5+5+5+5+5+5m; em forma de "T"). Após os esforços foram realizadas coletas de sangue do lóbulo da orelha (25 μL) nos minutos 3 e 5 para mensuração do lactato sanguíneo. Câmeras de vídeo registraram as imagens dos sprints, os quais ocorreram em ambiente devidamente calibrado. Em seguida as imagens foram sincronizadas e processadas utilizando o software DVIDEOW®. Foram mensuradas as médias das maiores velocidades dos sprints (Mvx), as médias das menores velocidades dos sprints (Menvx), a média da velocidade (xv), maior velocidade (Mv), menor velocidade (M-vel), média do pico de velocidade (xp), maior aceleração (Amaior), menor aceleração (Amenor), média da aceleração (xac), melhor tempo (MT), tempo médio (TMed), pior tempo (PT) e tempo total (Tt). Para a comparação entre os testes foi utilizado o teste t pareado (p<0,05). Todas as variáveis citadas, exceto Amenor, apresentam diferenças entre a comparação do RSA5MD e RSA2MD (p<0,05). Evidenciadas pelos resultados de tempo-performance e de cinemática para RSA5MD e RSA2MD sendo de MT= 8,14±0.36 e 6,56±0,30 s; TMed = 8,39±0,36 e 6,84±0,30 s; PT= 8,71±0,37 e 7,24±0,49 s; Tt= 83,99±3,60 e 68,4±2,91s; Mvx= 2,65±0,08 e 4,21±0,23 m.s- 1; Menvx= 2,47±0,09 e 3,76±0,25 m.s-1; xv = 2,56±0,08 e 3,99±0,18 m.s-1; Mv = 4,78±0.41 e 7,56±0,58 m.s-1; M-vel = 4,26±0,35 e 5,48±1,26 m.s-1; xp = 4,51±0,47 e 6,32±0,94 m.s-1; Amaior = 7,76±1,04 e 11,2±2,98 m.s2; Amenor = 6,50±0,76 e 6,50±1,14 m.s2, xac = 7,06±0,91 e 8,44±0,92 m.s2 respectivamente. A variável fisiológica da concentração de lactato sanguíneo foi de 8,18±1,89 e 9,91±2,47 mmmol.L- 1 para RSA5MD e RSA2MD, respectivamente. A partir dos resultados pode-se concluir que o RSA2MD e RSA5MD são significantemente diferentes, possivelmente em função da diferença no número de MD. Novos estudos são necessários para verificar qual protocolo é mais representativo das ações de jogo e dessa forma mais especifico para avaliação da modalidade.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.