Comparação do Imc e Indicativos de Gordura Corporal em Crianças de Diferentes Classificações Nutricionais

Por: Aparecido Pimentel Ferreira, Carlos Eduardo Rocha de Oliveira, , , Paulipeterson Cândido Alvim e Rômulo Maia Carlos Fonseca.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Objetivo: Comparar o IMC e os indicadores de gordura corporal em crianças de
diferentes classificações nutricionais de acordo com as normas do Center For Disease
and Control (CDC). Material e Métodos: Realizou-se um estudo de corte transversal,
em que a amostra foi obtida de forma aleatória (erro amostral de p=0,03), sendo
avaliadas 592 crianças de escolas particulares e 958 de escolas públicas,
correspondendo a 9,11% do total de crianças matriculadas em ambos seguimentos
de ensino. O IMC foi calculado pelo peso dividido pela estatura2, sendo classificadas
como baixo peso, crianças classificadas abaixo do percentil 05, eutróficas as crianças
que se encontravam abaixo do percentil 85, sobrepesadas entre os percentis 85-95 e
obesas acima do percentil 95, referentes à tabela do CDC. Os indicadores de gordura
corporal utilizado para este estudo foram: somatória das dobras de tríceps e panturrilha
(ΣDCtrpa), percentual de gordura corporal (%GC) estimada pela equação de
SLAUGTHER et al. (1988), circunferências da cintura e quadril e relação cintura/quadril
(RCQ). Resultados: A média de idade foi de 9,15±1,15 anos. A prevalência de
sobrepeso e obesidade foi de 18,35%. A prevalência de sobrepeso foi maior que a
obesidade tanto nos meninos 12,74% X 10,17%, quanto nas meninas 12,40% X
5,8% (p=0,003). As circunferências da cintura e do quadril, (ΣDCtrpa) e %GC
diferiram significativamente entre as 4 classificações nutricionais (baixo peso,
eutróficos, sobrepeso e obesidade) em ambos os sexos e no geral (p<0,001), a RCQ
também diferiu significativamente no sexo feminino (p=0,007), masculino e geral
(p<0,001). Quando analisados os dados das 4 classificações nutricionais
conjuntamente, o coeficiente de correlação de Person mostrou fortes correlações
entre o IMC e (ΣDCtrpa) r = 0,86, %GC estimada pela equação de Slaugther r =
0,85, circunferências da cintura r = 0,90 e circunferência do quadril r = 0,88, exceto
na RCQ r = 0,36 (p<0,001). Conclusão: O IMC, segundo protocolo estabelecido
pelo CDC, é um bom mecanismo de diagnóstico de adiposidade corporal e
diferenciação entre as classificações nutricionais na faixa etária estudada, pois os
valores médios de IMC e dos outros indicadores de gordura corporal estudados
diferenciaram significativamente entre as classificações nutricionais. Com exceção
da RCQ, todos os outros indicadores de gordura corporal tiveram altas correlações
positivas com o IMC.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/66_Anais_p303.pdf

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.