Comparação do índice de Esforço Percebido e Consumo de Oxigênio em Exercício em Cicloergômetro Entre Gestantes e Não-gestantes e Entre o Exercício Aquático e Terrestre

Por: Ana Carolina Kanitz, Cristine Lima Alberton, Iana Finkelstein, , Paulo André Poli de Figueiredo, Ricardo Stein e Roberta Bgeginski.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.18 - n.1 - 2012

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do presente estudo foi comparar o índice de esforço percebido (IEP) e o consumo de oxigênio (VO2) durante o exercício aquático e terrestre, na intensidade do primeiro limiar ventilatório entre gestantes e não-gestantes. Sete gestantes (idade gestacional entre 27ª e 30ª semanas) e sete não-gestantes realizaram dois testes contínuos em cicloergômetro (água e terra) na intensidade do primeiro limiar ventilatório. Durante os testes, os gases respiratórios foram coletados com um analisador de gases portátil KB1-C da marca Aerosport. A frequência cardíaca (FC) foi obtida através de um Polar modelo F1. Os dados foram coletados a cada 20s. O IEP era indicado ao término do exercício através da escala RPE de Borg (6-20). Utilizou-se ANOVA para medidas repetidas de 1 FATOR, com post hoc de Bonferroni (p < 0,05). Não foram encontradas diferenças significativas para o VO2 e para o IEP comparando os exercícios aquático e terrestre. Além disso, não foram encontradas diferenças significativas entre gestantes e não-gestantes. Concluímos que o IEP pode ser usado para prescrição do exercício aquático e terrestre e para gestantes e não-gestantes, quando este for realizado na intensidade do primeiro limiar ventilatório e em cicloergômetro.

Endereço: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-86922012000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.