Comparação de Inibições Medulares Entre Indivíduos com Doença de Parkinson e Saudáveis

Por: , Carla Silva Batista, , Eugenia Casella Tavares de Mattos, Luana Daniela de Souza Yoshida, , Maria Elisa Pimentel Piemonte e .

Revista Brasileira de Educação Física e Esporte - v.27 - n.2 - 2013

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do presente estudo foi comparar os níveis de inibição pré-sináptica (IPS) e inibição recíproca (IR) entre indivíduos com Doença de Parkinson e saudáveis e, a correlação entre essas inibições e a rigidez muscular e a severidade clínica de indivíduos com Doença de Parkinson (avaliadas através da Escala Unificada de Avaliação da Doença de Parkinson). Foram avaliados 11 indivíduos nos estágios 2 e 3 da doença e 13 indivíduos saudáveis pareados pela idade. A IPS foi menor em indivíduos com Doença de Parkinson (31,6%) do que em saudáveis (67,1%) (p = 0,02). A IR não diferiu entre indivíduos com Doença de Parkinson (26,9%) e saudáveis (27,6%) (p = 0,91). Adicionalmente, não foram detectadas correlações entre os níveis de IPS com a rigidez e a severidade clínica (p >; 0,05). Portanto, mecanismos inibitórios não explicam totalmente a rigidez muscular e a severidade clinica da doença. Alterações entre ativação de músculos agonistas e antagonistas parecem estar relacionadas a influências supraespinhais anormais nos mecanismos espinhais decorrentes da doença.
 
Palavras-chave: Reflexo-H;Medula espinhal;Inibição pré-sináptica;Inibição recíproca dissináptica;Doença de Parkinson

Endereço: http://www.revistas.usp.br/rbefe/article/view/58559

Ver Arquivo (PDF)

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.