Comparação Morfométrica e Biomêcanica do Músculo Gastrocnêmio em Relação à Corrida de Curta Distância em Indivíduos de Raças Negra e Branca

Por: Manoel Francisco Pereira Silva.

123 páginas. 2001 00/00/0000

Send to Kindle


Resumo

O autor enfatiza a biomêcanica da locomoção, além do estudo do músculo gastrocnêmio e examina as raças de cor negra e branca para constatar possíveis diferenças entre elas. Recorda, para justificar seu trabalho, a observação de Richet (1973): "Esta disposição anatômica que alonga consideravelmente o braço de alavanca pela qual os músculos extensores agem sobre o pé, favorece singularmente a marcha e justifica a agilidade incomparável dos negros sobre os brancos." Procede um estudo descritivo do músculo gastrocnêmio, buscando confirmar em suas dissecções a maior predominância e um alongamento maior da porção muscular medial e recorda a declaração de Harry, Letoumean e Bloch, citados por Rocha (1971), ao estudarem os negros da Níbia e Austrália: "Eles têm as pernas fusiformes, que num bom número de casos, formam, com o tronco, se bem desenvolvido, um contraste que choca o olhar". Revê as disposições encontradas pelos autores, estatísticas e resultados colhidos na análise das medidas e nos índices de Frey, citado por Ramalho (1977), relacionados à tíbia e ao comprimento do calcâneo, sendo este último o ponto focal da importância desta pesquisa, falando a favor desta alavanca mais propícia encontrada na raça negra comentada anteriormente. Considera, também, o tipo de fibra muscular encontrada na raça negra. Justifica este predomínio no tocante à potência e explosão em corridas de curta distância.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=1248&listaDetalhes%5B%5D=1248&processar=Processar

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.