Comparações de Comportamentos da Proteína C-reativa e da Temperatura da Pele dos Membros Inferiores de Atletas Profissionais de Futebol em Resposta a Jogos Consecutivos

Por: Warley Henrique Duarte de Oliveira.

81 páginas. 2020 01/12/2020

Send to Kindle


.Resumo

O futebol envolve ações excêntricas e de alta intensidade. Essas ações geram danos musculares que desencadeiam processos inflamatórios para reparo/remodelagem tecidual. Esses processos inflamatórios caracterizam-se por fases sobrepostas e podem ser desenvolvidos diferentemente em função dos intervalos entre jogos consecutivos. Monitorar jogos consecutivos por meio de análises dos comportamentos de variáveis como a Proteína C-reativa (PCR) e a Temperatura da pele (Tp) dos membros inferiores (MMII) pode aumentar a compreensão da demanda imposta aos atletas e o retorno temporal da homeostase. Ademais, análises de respostas relativizadas pelos maiores níveis atingidos dessas variáveis podem ampliar a compreensão do estágio inflamatório em jogos consecutivos. O objetivo do estudo foi comparar os comportamentos da PCR e da Tp dos MMII de atletas profissionais de futebol em 3 jogos consecutivos, com relação aos níveis de Pré_Jogo (Baseline), além de comparar as respostas relativizadas dessas variáveis em 24, 48 e 72 horas após os 3 jogos. A amostra foi composta por 12 atletas profissionais de futebol (26,31 ± 4,45 anos). Coletas sanguíneas foram realizadas para análises de PCR, e a Tp dos MMII foi avaliada por meio da Termografia Infravermelha. Essas avaliações ocorreram antes de 3 jogos consecutivos (Baseline) e a cada 24 horas após os jogos. O monitoramento da Distância total dos jogos foi realizado por meio de GPS. As concentrações séricas de PCR e a Tp dos MMII em 24 horas após todos os jogos e em 48 horas após o jogo 3 foram significativamente maiores que o Baseline (P < 0,05). As respostas relativizadas da PCR foram significativamente maiores em 48 horas pós jogo 3, comparadas com momentos similares dos jogos 1 e 2, respectivamente (P < 0,05; d > 0,62; d > 2,0). Resultados similares de 48 horas após o jogo 3 foram verificados para as respostas relativizadas da Tp dos MMII (P < 0,05; d > 2,0; d > 2,0). Não houve diferença significativa para a Distância total dos jogos (P > 0,20). Em 24 horas após todos os jogos foram verificados aumentos significativos de PCR e Tp dos MMII, confirmando o estresse fisiológico gerado pelos jogos. Em 48 horas, apenas após o jogo 3 houve aumentos significativos de ambas as variáveis. As respostas relativizadas de 48 horas pós jogo 3 e o resultado da Distância total sugerem um provável efeito acumulativo da carga dos 3 jogos.

Endereço: https://sucupira.capes.gov.br/sucupira/public/consultas/coleta/trabalhoConclusao/viewTrabalhoConclusao.xhtml?popup=true&id_trabalho=10734550

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.