Complexidade, Organização e Exercício Físico

Por: Antonio Pakenas.

2009 22/04/2009

Send to Kindle


Resumo

literatura especializada tem estudado a célula muscular extensivamente. De fato, existem muitos dados descrevendo alterações na concentração de substâncias, atividade enzimática e síntese (ou degradação) de moléculas durante e após o exercício físico. Entretanto, o uso de referenciais teóricos, que torna essas informações significativas, é parco. O pesquisador, por sua vez, não consegue fazer previsões de fenômenos relacionados ao exercício físico acima do nível óbvio. Para tanto, ele deve encontrar meios de análise que possibilitem a interação entre as partes analisadas e aquelas encontradas em níveis de análise mais abrangentes. No caso do músculo esquelético, células satélites podem ser o nível preferencial de escolha, já que constituem o único meio de perpetuação desse tecido. As células satélites são, portanto, o agente que concretizará a atividade muscular e a relação com outros tecidos que compõem o ser vivo. Assim, torna-se importante saber como o exercício físico pode influenciar o comportamento das diferentes populações de células satélites, algo possível mediante o emprego de modelos teóricos. Portanto, o presente trabalho tem por objetivo caracterizar o papel das teorias relacionadas à complexidade e organização

Endereço: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/39/39132/tde-15062009-144646/pt-br.php

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.