Comportamento Angular do Tornozelo Durante a Fase de Suporte da Mudança de Direcção no Caminhar

Por: António Mourão, Filipe Santos, J. Bulas-cruz, João Abrantes, Pedro Melo, Ronaldo Gabriel e Victor Filipe.

VI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Âmbito e objectivos do trabalho - O caminhar, como padrão motor básico, permite-nos pressupor que está sujeito a processos filogenéticos e ontogenéticos comuns às diversas formas de locomoção bípede. Mas, paralelamente auma noção de padrão de caminhar padronizado, o executante tem, frequentemente, a necessidade de alterar a direcção do plano de deslocamento do centro de gravidade do corpo. O actual estudo tem como objectivo testar procedimentos metodológicos e, através de um estudo caso, contribuir para um trabalho mais vasto na área da estabilidade articular de acordo com parâmetros identificados por Gabriel (1994), Gabriel & Abrantes (1995) e Davis & DeLuca (1995, 1996) o qual caracterize o comportamento da estabilidade articular do complexo tibio-társico (tornozelo), durante a fase de suporte do pé no caminhar que corresponda às citadas alterações de plano de deslocamento. A análise do comportamento biomecânico do tornozelo é essencial para o estudo da locomoção bípede através da ligação directa que esta articulação estabelece entre o executante e o solo com implicações directas no comportamento dos outros elementos e sistemas do membro inferior (Rodgers, 1993; Vaughan & Sussman, 1993; Hunter et al, 1995; Lafortune, 1997).

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.