Comportamento da Flexibilidade e Força Muscular em Diferentes Horários do Dia

Por: Débora Alves Guariglia.

2009 07/04/2009

Send to Kindle


Resumo

A avaliação dos componentes da aptidão física tem sido amplamente utilizada tanto na prática profissional como em pesquisas científicas, por isso a busca por medidas de melhor qualidade é fundamental. Algumas funções corporais oscilam em um período de 24 h e essas exercem algumas influências sobre o organismo, o que pode proporcionar também oscilações no desempenho físico e conseqüentemente no resultados da avaliação de alguns componentes da aptidão física. No entanto, algumas informações a respeito desse comportamento ainda não são claras. Assim, os objetivos desse estudo foram analisar o desempenho da flexibilidade e força muscular em três diferentes horários do dia (8, 13 e 18 h) e verificar se fatores como cansaço, sono, motivação, empolgação e concentração podem interferir no desempenho dos voluntários nos testes. Para isso, a amostra foi composta por 26 homens sedentários em uma faixa etária entre 18 e 30 anos. A flexibilidade foi avaliada por análise cinemática de quadril e pelo teste de sentar e alcançar no banco de Wells. A força muscular foi avaliada nos testes de preensão manual no dinamômetro portátil JAMAR e os movimentos de abdução de ombro e extensão de joelho foram executados contra a resistência em uma célula de carga fixa. Para examinar os fatores como cansaço, sono, motivação, empolgação e concentração, foram adotados cinco itens do questionário de POMS. Para as análises, foram aplicadas Anova para medidas repetidas, Anova fatorial, teste de McNemar e o cálculo do tamanho do efeito. Os resultados apresentaram variações entre os horários somente no teste de sentar e alcançar (P = 0,01) com valores superiores as 18 em relação às 8 h. Em relação ao tamanho do efeito, as variáveis que apresentaram os maiores efeitos entre os horários foram o sentar e alcançar e a extensão de quadril com valores superiores a 0,20. Com base nesses resultados, pode-se concluir a existência de variações no desempenho dos voluntários na variável flexibilidade avaliada pelo teste sentar e alcançar. Além disso, os fatores cansaço, sono, motivação, empolgação e concentração não influenciaram o desempenho físico da amostra entre os horários avaliados. 

Endereço: http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000149279

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2017 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.