Comportamento Sedentário e Fatores Associados em Adolescentes do Nordeste do Brasil

Por: Fabiana Medeiros de Almeida Silva.

95 páginas. 2016 29/02/2016

Send to Kindle


Resumo

Introdução: Comportamento sedentário é o termo utilizado para caracterizar um conjunto de atividades com gasto energético próximo aos valores de repouso e normalmente realizadas na posição sentada. Objetivos: Analisar os fatores associados à exposição ao comportamento sedentário em adolescentes. Métodos: Este estudo é uma análise secundária dos dados de um levantamento epidemiológico de delineamento transversal com amostra representativa de estudantes do ensino médio da Rede Pública Estadual de Sergipe, composta por 3.992 escolares, com idades entre 14 e 19 anos. Os dados foram coletados mediante questionário auto administrado. O tempo em atividades como assistir televisão, jogar no computador, conversar com os amigos, jogar cartas ou dominó foi usado como medida do comportamento sedentário (>2 horas/dia = exposto). Variáveis como: nível de atividade física habitual, tabagismo, uso de drogas, consumo (frutas e verduras, refrigerante, álcool), indicadores de estresse psicossocial (percepção negativa de estresse, sentimento de solidão, dificuldade para dormir), fatores demográficos (sexo, idade, cor da pele) fatores socioeconômicos (série escolar, turno de estudo, reprovação, local de residência, escolaridade materna, renda familiar) foram analisadas. Recorreu-se à regressão logística binária para análise de associação entre as variáveis. Resultados: A prevalência de exposição ao comportamento sedentário foi de 46,7% e associou-se ao baixo nível de atividade física (OR=1,18; IC95%1,01-1,38), consumo de refrigerantes (OR=1,26; IC95%1,10-1,43), sentimento de solidão (OR=1,19; IC95%1,05-1,36) percepção negativa de estresse (OR=1,31; IC95%1,12-1,53), dificuldade para dormir (OR=1,20; IC95%1,05-1,37), sexo feminino (OR=1,33; IC95%1,14-1,55), menor faixa etária (OR=1,51; IC95%1,18-1,94), série inicial do ensino médio (OR=1,29; IC95%1,05-1,59), turno diurno de estudo (OR=1,21; IC95%1,02-1,45), local de domicílio em área urbana (OR=1,25; IC95%1,08-1,46), maior escolaridade materna (OR=1,58; IC95%1,21-2,06), não trabalhar (OR=1,57; IC95%1,31-1,89) e classe econômica mais privilegiada (OR=2,22; IC95%1,82-2,72). Conclusões: Foi evidenciada alta prevalência de exposição ao comportamento sedentário e associação com características demográficas, socioeconômicas e comportamentais dos adolescentes. São sugeridas intervenções para reduzir o sedentarismo entre os jovens, especialmente, nos subgrupos de maior exposição.

Endereço: http://bdtd.ufs.br/handle/tede/3033

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.