Comportamento Sedentário e Qualidade de Vida Relacionada à Saúde em Adolescentes

Por: Joana Marcela Sales de Lucena.

2015 24/07/2015

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar as associações entre o tempo despendido em comportamentos sedentários e a qualidade de vida relacionada à saúde em adolescentes. Trata-se de um estudo epidemiológico transversal, de base escolar, inserido no Estudo Longitudinal sobre Comportamento Sedentário, Atividade Física, Hábitos Alimentares e Saúde de Adolescentes (Estudo LONCAAFS). A amostra foi composta por adolescentes do sexto ano do ensino fundamental II, de 10 a 15 anos de idade, de escolas públicas (estadual e municipal) no município de João Pessoa (PB). O tempo em comportamentos sedentários foi mensurado por questionário (tempo de televisão, computador e videogames, separadamente (n = 1455) e com acelerômetros (n = 844). A qualidade de vida relacionada à saúde foi mensurada pelo questionário KIDSCREEN-27. Foram considerados como potenciais fatores de confusão as variáveis sociodemográficas (sexo, idade, cor da pele, escolaridade do pai e da mãe, classe econômica da família), o índice de massa corporal e o nível de atividade física. Os dados foram tabulados em duplicata no programa EpiData 3.1. Para avaliar as associações entre comportamentos sedentários e qualidade de vida relacionada à saúde foi utilizada regressão linear múltipla. Todas as análises estatísticas foram realizadas no programa Stata 13.0. Os resultados da análise ajustada demonstraram que o tempo de televisão foi associado de forma inversa com o domínio bem-estar físico ( = -0,003; p = 0,035). O tempo em videogames foi associado de forma inversa ao escore geral de qualidade de vida relacionada à saúde ( = -0,125; p = 0,001) e aos domínios bem-estar psicológico ( = -0,032; p = 0,002), ambiente escolar ( = -0,042; p = 0,001) e suporte social/grupo de pares ( = -0,032; p = 0,004), assim como o tempo de tela (televisão, computador e videogames) foi associado de forma inversa ao domínio ambiente escolar ( = -0,012; p = 0,009). O tempo de computador foi associado de forma positiva ao escore geral de qualidade de vida relacionada à saúde ( = 0,079; p = 0,018), aos domínios bem – estar psicológico ( = 0,027; p = 0,005), suporte social e grupo de pares ( = 0,036; p = 0,005). Adolescentes que permanecem mais tempo em comportamentos sedentários (televisão e videogames) apresentam menores escores de qualidade de vida relacionada à saúde. Não houve associação entre o tempo em comportamentos sedentários, mensurado por acelerômetro, e a qualidade de vida relacionada à saúde. São necessárias iniciativas na saúde pública que promovam a diminuição do tempo assistindo televisão e jogando videogames de forma excessiva e a realização de estudos qualitativos que investiguem a associação entre o uso do computador e a qualidade de vida relacionada à saúde. 

Endereço: http://w2.portais.atrio.scire.net.br/upe-papgef/

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.