Comportamento Violento, Bullying e Atividade Física em Adolescentes

Por: Mona Gizelle Dreger de Oliveira.

53 páginas. 2018 25/02/2018

Send to Kindle


Resumo

Introdução: O comportamento violento e bullying são ações presentes entre os adolescentes, não estando claro a sua associação entre atividade física e prática esportiva. Dessa forma, o objetivo deste estudo é verificar a associação entre o comportamento violento e a prática de atividade física e esportiva em adolescentes. Metodologia: O trabalho foi dividido em duas etapas organizadas da seguinte forma: a primeira teve o intuito de analisar a associação entre a prática esportiva e os determinantes do comportamento violento em adolescentes de Aracaju e Região Metropolitana, a partir de estudo realizado nesta região, enquanto que, a segunda etapa, baseada na Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar-PeNSE/2015, teve o objetivo de analisar a associação entre o comportamento do bullying e a atividade física acumulada em adolescentes escolarizados do Brasil. Estas etapas resultaram em dois manuscritos submetidos à publicação a periódicos ranqueadas na área 21 da CAPES. Resultados: O primeiro trabalho apresentado, identificou uma maior chance de comportamento violento no sexo masculino (OR = 3,0; IC95% 2,3 - 3,9), indivíduos que relataram consumo de bebidas alcoólicas (OR = 2,5; IC95% 1,9 - 3,3) e que relataram consumo de cigarros (OR = 2,6; IC95% 1,7 - 4,0). Além disso, notou-se que a prática esportiva favorece em 40% a chance de comportamento violento quando comparado com os indivíduos que não praticam modalidades esportivas (OR = 1,4; IC95% 1,1 - 1,8). Para o segundo manuscrito, considerando a estratificação em “ativos” e “menos ativos” e um modelo logístico binário ajustado para cada estrato, para o desfecho “perpetrar bullying” verificou-se, para os “ativos”, associação entre perpetrar bullying e o sexo masculino (OR = 2,21; IC95% 1,81 - 2,67) e sofrer bullying enquanto percepção (OR = 2,45; IC95% 2,05 - 2,93) e conceito (OR = 1,47; IC95% 1,22 - 1,76). Para os “menos ativos”, percebeu-se associação entre “perpetrar bullying” e sexo masculino (OR = 1,88; IC95% 1,65 - 2,13), adolescente do ensino fundamental (OR = 1,33; IC95% 1,14 - 1,56) e sofrer bullying enquanto percepção (OR = 2,93; IC95% 2,56 - 3,36) e conceito (OR = 1,43; IC95% 1,25 - 1,64). Conclusão: Quem pratica esporte tem mais chance de ter um comportamento violento, enquanto que, independentemente de ser ativo ou menos ativo, quem perpetra bullying tem mais chance de ter sofrido bullying.

Endereço: https://ri.ufs.br/handle/riufs/7846

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.