Comportamentos de Promoção e de Risco à Saúde Entre Adolescentes com Deficiência Visual

Por: Guilherme Eduardo Guterres Heinemann.

2019 00/00/0000

Send to Kindle


.Resumo

O objetivo do presente estudo foi analisar a prática de comportamentos de promoção e de risco à saúde em adolescentes com deficiência visual. A amostra foi composta por 66 adolescentes, 35 do sexo masculino e 31 do sexo feminino, de sete cidades do estado do Paraná. Os aspectos relacionados à atividade física e aos comportamentos de risco à saúde foram avaliados através de uma anamnese, juntamente com as características sociodemográficas da amostra. Para analisar os comportamentos de promoção à saúde utilizou-se a Adolescent Health Promotion Scale - AHPS. Os indicadores econômicos foram avaliados por meio do Questionário de Classificação Econômica da Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa – ABEP. Os dados foram apresentados por meio de estatística descritiva. Para analisar os comportamentos de promoção e de risco à saúde de acordo com variáveis sociodemográficas, classificação e origem da deficiência visual, e prática de atividade física regular foram aplicados os testes Prova U de Mann-Whitney e Qui-quadrado de Pearson. O agrupamento dos participantes com base nos resultados da AHPS ocorreu por meio de análise de Cluster hierárquica, juntamente com o método de Ward. Para comparação dos resultados entre os diferentes Clusters aplicou-se o teste de Kruskal-Wallis. O nível de significância adotado no estudo foi de 95,0% (P≤0,05). Do total de participantes, 25,8% afirmaram já ter ingerido álcool, 1,5% afirmaram já ter fumado e 1,5% relataram já ter mantido relação sexual sem a utilização de método preventivo de DST. Todos os adolescentes afirmaram nunca ter usado drogas ilícitas. Não foram encontradas diferenças significativas ao analisar as prevalências de comportamentos de risco de acordo com as variáveis independentes. Os adolescentes apresentaram uma mediana de 3,4 (IQ: 2,9-3,7) para o escore global da AHPS. Quanto às dimensões da AHPS, verificou-se os maiores escores na dimensão “Valorização da Vida”. Já com os menores escores encontra-se a dimensão “Responsabilidade pela Saúde”. Os participantes que praticavam atividade física regularmente obtiveram valores significativamente superiores no escore global da AHPS e em todas as dimensões do instrumento, exceto “Controle do Estresse”. Da mesma forma, os adolescentes que não consumiam álcool manifestaram escores estatisticamente superiores nas dimensões “Nutrição”, “Suporte Social”, “Valorização da Vida”, “Controle do Estresse” e no escore global da AHPS. Através da análise de Cluster, notou-se que o Cluster I apresentou valores significativamente superiores aos dos demais Clusters no escore global da AHPS e nas dimensões “Responsabilidade pela Saúde”, “Valorização da Vida” e “Exercício Físico”. Concluiu-se que os participantes raramente praticaram comportamentos de risco à saúde. Em relação às práticas saudáveis, notou-se que os participantes manifestaram comportamentos de promoção à saúde com a frequência de pelo menos “algumas vezes” nos últimos 30 dias.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000228904

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.