Composição Corporal, Imagem Corporal e Maturação Sexual de Crianças e Adolescentes

Por: Maria Letícia Elias Pinto da Luz Knorr.

2011

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do estudo foi identificar a existência de congruência entre as variáveis da composição corporal e imagem corporal de crianças e adolescentes durante a maturação sexual. Pode ser caracterizada como pesquisa aplicada, quantitativa, descritiva e correlacional. A amostra foi composta de 334 indivíduos (178 do sexo masculino e 156 do sexo feminino) de 8 a 17 anos, inscritas no Programa Mais Educação de São José-SC que foram selecionados intencionalmente, considerado critério a inscrição do sujeito no Programa Mais Educação. Foram mensurados dados de massa corporal, estatura, dobras cutâneas e diâmetros ósseos. Calculou-se o percentual de gordura corporal pelas equações propostas por Slaugther et al. (1988) e o fracionamento da massa corporal em quatro componentes proposto por Matiegka (1921). Para obtenção de dados referentes à imagem corporal, aplicou-se o instrumento proposto por Tiggeman e Barret (1998). Calculou-se a diferença entre a imagem corporal percebida e desejada proposta por Stunkard (1983) referente a insatisfação com a imagem corporal. Para avaliação dos estágios da maturação sexual foi aplicado a escala proposta por Tanner (1962). Para descrição da amostra, utilizou-se a estatística descritiva. Para obtenção da relação entre as variáveis, foi determinado o coeficiente de correlação de Spearman (p). Para avaliar a influência dos quatro componentes da composição corporal (Massa Magra, Massa Gorda, Massa Óssea, Massa Residual) no Índice de Massa Corporal optou-se pelo coeficiente de determinação (r2). Para todos os testes estatísticos adotou-se um nível de significância de 95% (p<0,05). Verificou-se que no sexo masculino, o IMC aumenta na proporção que o estágio maturacional avança de G1 para G3. Embora estatisticamente significante, a correlação entre o IMC e o estágio de maturação sexual e entre massa gorda e o estágio de maturação sexual para meninos foram fracas e para meninas moderadas. Já entre a massa muscular e o estágio de maturação sexual foi moderado. O percentual de gordura apresentou correlação muito fraca e negativa para meninos e moderada para meninas. Todas as correlações foram mais fortes no sexo feminino. Nas meninas, a massa gorda aumenta progressivamente enquanto que a massa muscular diminui. A medida que os estágios da maturação sexual evoluem, o percentual de massa gorda que contribui frente ao aumento do IMC, avança também progressivamente. Considerando os três componentes (massa muscular, massa residual e massa óssea) como massa magra, conclui-se que as meninas apresentam um ganho de massa gorda e uma diminuição de massa magra. Percebeu-se que correlação entre a imagem corporal percebida e o IMC foi moderada para ambos os sexos.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.