Composição Corporal, Maturação Sexual e Desempenho Motor de Jovens Praticantes de Handebol

Por: André de Camargo Smolare, Antonio Stabelini Neto, Michael Pereira da Silva, Rodolfo André Dellagrana, Rodrigo Bozza e Wagner de Campos.

Motriz - v.16 - n.4 - 2010

Send to Kindle


Resumo

O presente estudo teve como objetivo investigar a associação entre composição corporal e  maturação sexual com o desempenho motor de jovens praticantes de handebol de ambos os sexos. Foram  avaliados 47 adolescentes com idades entre 12 e 17 anos. A avaliação da maturação sexual foi realizada  através do teste de auto-avaliação. As variáveis antropométricas de massa corporal e estatura foram mensuradas, além das dobras cutâneas do tríceps e da panturrilha, para a estimativa do percentual de  gordura (%G). Para a análise do desempenho motor foi realizada uma bateria de testes motores: impulsão  horizontal (IH), flexão de braços, abdominal, sentar e alcançar e corrida de vai e vem – shuttle run  (agilidade). Observou-se uma relação inversa entre %G e IH (r=-0,42), e a agilidade (Ag) obteve relação  positiva com o %G (r=0,61). A correlação entre maturação e IH foi positiva (r=0,32), e com a Ag negativa  (r=-0,27). O sexo explicou 32,8% da variabilidade da IH e em conjunto com o %G e maturação o valor foi de  36,5%. Para a Ag a variabilidade foi explicada em 39,4% pelo sexo, juntamente com o %G e a maturação  este valor foi elevado à 55%. Apesar da contribuição preditora do sexo em conjunto com o %G e a  maturação para as variáveis de IH e Ag, os valores foram baixos, podendo não atribuir as alterações destas  variáveis motoras apenas às variáveis independentes analisadas. 

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/1980-6574.2010v16n4p880/pdf_2

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.