Composição Corporal, Somatotipo e Aptidão Física de Jovens Atletas de Futebol de Campo

Por: , Edson Itaru Kaminagakura, Henrique Andrade Rodrigues da Fonseca, Rodolfo André Dellagrana e Wagner de Campos.

Caderno de Educação Física e Esporte - v.14 - n.1 - 2016

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do estudo foi verificar o perfil da composição corporal, somatotipo e aptidão física de jovens jogadores de futebol por posição de jogo. Foram avaliados 23 jogadores do sexo masculino da categoria sub-20. O somatotipo foi calculado pelo método antropométrico e a composição corporal foi estimada por meio da impedância bioelétrica. Para a análise da aptidão física foram realizados os testes de potência de membros inferiores, agilidade, velocidade, resistência abdominal e aptidão aeróbia. Análise de variância (one-way) foi realizada para comparação entre as posições, seguido do post-hoc de Tukey. Para os dados não paramétricos o teste de Kruskal-Wallis foi realizado para comparar posições de jogo. Os zagueiros e atacantes são mais pesados e com maior quantidade de massa corporal magra (MCM) em relação aos meias e laterais, além disso, os zagueiros são mais altos do que os demais jogadores. O somatotipo médio dos jogadores foi de 2,6-3,7-3,3 (ectomesomorfo), não foram encontradas diferenças entre as posições de jogo (p>0,05). Por fim, atletas de meio campo e laterais foram mais rápidos do que os goleiros e zagueiros (p<0,05), não foram encontradas diferenças significativas entre as posições estudadas para as demais variáveis da aptidão física. Conclui-se que zagueiros e atacantes apresentam vantagens nas variáveis antropométricas, porém, meias e laterais são mais rápidos. O somatotipo do grupo de jogadores foi o ectomesomorfo.

Endereço: http://e-revista.unioeste.br/index.php/cadernoedfisica/article/view/14580

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.