Composição Corporal e Somatótipo de Mulheres com Sobrepeso e Obesas Pré e Pós-treinamento em Circuito ou Caminhada

Por: Carlos Alexandre Fett e Waléria Christiane Rezende Fett.

Revista Brasileira de Medicina do Esporte - v.12 - n.1 - 2006

Send to Kindle


Resumo

Avaliação da composição corporal: antropometria(1,2), bioimpedância(3) e somatotipia(4). Testes de uma repetição máxima (1-RM) para supino reto, leg press e remada baixa sentada. RESULTADOS: A massa, o IMC, a percentagem da gordura corporal pela antropometria e bioimpedância e a endomorfia foram reduzidas significativamente nos dois grupos. A mesomorfia diminuiu e a ectomorfia aumentou no CAM. As massas magra da bioimpedância e muscular não mudaram em ambos os grupos. A circunferência muscular do braço (CMB) aumentou significativamente no CIRC. O resultado da percentagem de gordura da bioimpedância e o da antropometria foram iguais e significativamente correlacionados. A endomorfia foi significativamente correlacionada com o percentual de gordura da antropometria e a mesomorfia com a da massa magra da antropometria. A ectomorfia não se correlacionou com a massa magra da antropometria. CONCLUSÃO: A somatotipia teve bom resultado para avaliar as modificações fenotípicas dessas mulheres. Todavia, a endomorfia apresentou melhor concordância e a ectomorfia, a pior, comparada com outros métodos. Os resultados do somatótipo sugerem que o CIRC obteve melhor resultado. A bioimpedância e a antropometria produzem resultados similares para avaliar a composição corporal.

Endereço: http://www.scielo.br/pdf/rbme/v12n1/v12n1a09.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.