Composição Corporal e Somatotipo em Pessoas com Síndrome de Down

Por: Fabio Bertapelli.

2012 07/02/2012

Send to Kindle


Resumo

O objetivo do presente estudo foi avaliar a composição corporal e o somatotipo de pessoas com idade entre 6 e 19 anos de idade de ambos os sexos com síndrome de Down, institucionalizados do município de Campinas - SP. Inicialmente, foi realizada uma revisão de literatura sobre a composição corporal de crianças e adolescentes com síndrome de Down. Os capítulos subseqüentes foram constituídos através da análise da prevalência de obesidade, topografia da gordura subcutânea e perfil somatotipológico, por meio da realização de treze medidas antropométricas, incluindo peso, estatura, diâmetros biepicondilar do fêmur e úmero, perímetros da perna medial e braço, dobras cutâneas tricipital, bicipital, subescapular, supra-ilíaca, abdominal, coxa e perna. Para determinação do percentual de gordura foram utilizadas as equações de Slaughter, Lohman e Boileau et al. (1988). Em relação à técnica do somatotipo, recorreu-se ao método de Heath e Carter (1967). O tratamento estatístico dos dados foi realizado através do pacote computadorizado R Commander 1.6-3 (Rcmdr) no software R plus, versão 2.12.1. Os dados foram submetidos ao teste de normalidade e utilizada estatística descritiva (mediana e percentis 25 e 75), teste de Mann-Whitney e teste t para amostras independentes para comparação entre grupos etários, adotando-se como nível de significância (p _ 0,05). A concordância entre os valores de gordura e o componente de endomorfia, e os valores de massa magra e o componente de mesomorfia foram analisados através do teste de correlação momentoproduto de Pearson e Spearman para dados paramétricos e não paramétricos, respectivamente. De acordo com a revisão de literatura, meninos e meninas apresentaram quadros elevados de obesidade na maioria dos estudos. Em relação ao aspecto genético, a análise do gene RE Xbal foi fundamental para a compreensão dos genótipos envolvidos com o sobrepeso. Além disso, os aspectos ambientais indicaram baixos níveis no consumo de calorias e práticas de atividades físicas em crianças e adolescentes com síndrome de Down comparados aos indivíduos sem a síndrome. Por fim, através da observação das variáveis fisiológicas, verificou-se a ocorrência de alterações no hormônio leptina e insulina, micronutriente zinco, colesterol, triglicérides e taxa metabólica basal. Com base nessas descobertas, foi possível concluir que os aspectos genéticos, ambientais e fisiológicos exerceram influências relativamente negativas sobre a composição corporal nos indivíduos com síndrome de Down. Em relação aos dados obtidos no presente estudo, a maioria dos indivíduos apresentou excesso de gordura, sendo encontrados valores superiores no sexo feminino em relação ao masculino, verificadas tanto na análise do percentual de gordura quanto nos valores somatotipológicos. Quanto à topografia da gordura subcutânea, a maioria apresentou maior concentração de gordura na coxa e menor depósito na região do bíceps. Diante dessas informações, considera-se que a avaliação da composição corporal e do somatotipo são recursos importantes para subsidiar pesquisadores e profissionais que atuam diretamente na melhora da qualidade de vida de crianças e adolescentes com síndrome de Down. 

Endereço: http://www.bibliotecadigital.unicamp.br/document/?code=000849392&opt=1

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.