Concentração de Hidroxiprolina Como Marcador Bioquímico do Dano Músculo Esquético Após Treinamento de Resistência de Força

Por: Antônio de Carvalho Nogueira, , , Paulo Moreira Silva Dantas, Roberto Simão e Rodrigo Gomes de Souza Vale.

Revista Brasileira de Ciência & Movimento - v.15 - n.2 - 2007

Send to Kindle


Resumo

A geração de força elevada nas ações musculares excêntricas pode afetar as estruturas musculares e tendíneas do tecido conjuntivo. Por isso, o objetivo deste estudo foi comparar a concentração de hidroxiprolina antes e depois de um treino de resistência de força em 30RM, já que a hidroxiprolina pode ser utilizada como marcador do dano músculo esquelético. Foi necessário então, comparar o efeito agudo do treino de resistência de força na concentração de hidroxiprolina em oito homens com idades variando entre 17 e 25 anos. Uma coleta de urina basal e três testes de 30RM foram realizados, e após recuperação, executaram três séries de 30RM com outra coleta de urina feita duas horas depois. O tratamento estatístico dado para as médias da concentração de hidroxiprolina de pré e pós-treino, através do teste t-Student pareado, mostrou não haver diferença significativa (p>0,05). Assim, não foi possível inferir que houve algum dano por este método de análise.

Endereço: http://portalrevistas.ucb.br/index.php/RBCM/article/view/746/749

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.