Concepções de Professores e Alunos Sobre Aulas Mistas ou Separadas Por Sexo

Por: e Janaína da Conceição Aguiar.

VII Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Grande parte das escolas ainda separam os alunos por sexo nas aulas de educação física mantendo a ideologia sexista na condução das atividades físicas. Considerando os possíveis reflexos no comportamento dos alunos a partir dessa prática, o propósito do estudo foi analisar as concepções de professores e alunosde escolas municipais e particulares da cidadede Vitória/ ES acerca das aulas mistas ou separadas por sexo, nas atividades de educação física. Aamostra foi de 95 alunos de 5asérie, de ambos os sexos, e com idade entre 10 e 12 anos. Também participaram 6 professores e 3 diretores. Empregou-se um questionário de 8 perguntas e para tratamento dos dados recorreu-se à análise de conteúdo. Os resultados revelaram que as aulas de educação física mistas ou separadas por sexo são norma da escola, independem de opinião dos professores, e não há amparo legal ou pedagógico para essa determinação.Os professores e diretores que aprovam aulas mistas, argumentam o aspecto da socialização, ao passo que os contrários vêem vantagens nas aulas separadas. Quanto aos alunos, esses brincam com o sexo oposto em diferentes situações e oportunidades, mas para as aulas de educação física, desejam aulas separadas alegando a falta de habilidade das meninas. Estas, optaram por aulas separadas porque julgam os meninos "brutos", "mais hábeis", reconhecendo ter menor habilidade para a prática de determinadas atividades. O estudo sugere melhor preparo docente, e capacitação pedagógicas a fim de prepará-los a atuar melhor minimizando a ideologia sexista que reina na sociedade e igualmente, na escola.

Comentários


:-)





© 1996-2014 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.