Conhecimento dos Alunos de Graduação em Educação Física Sobre Diabetes Mellitus

Por: Thaís Mara Alexandre Bertazone.

2012 03/08/2012

Send to Kindle


Resumo

Estudo transversal que teve como objetivo avaliar o conhecimento sobre diabetes mellitus de alunos do último ano de Cursos de Bacharelado em Educação Física, no interior do estado de São Paulo, em 2012. A amostra aleatória foi constituída por 69 alunos de três instituições de ensino particulares em Educação Física. Para a coleta de dados foi construído um questionário dividido em duas partes. Na primeira parte foram avaliadas as variáveis sociodemográficas, e na segunda, com 27 questões, sendo 19 de múltipla escolha e oito de alternativas verdadeiras ou falsas, as variáveis relacionadas ao conhecimento sobre conceito, sinais e sintomas, e exercício físico. Os dados foram analisados por meio de estatística descritiva. Os resultados mostraram que em relação à caracterização dos alunos encontrou-se que a maioria era do sexo masculino, na faixa etária dos 20 aos 24 anos e solteiros. Quanto à renda familiar 55,0% percebiam de um a seis salários mínimos. Em relação às questões relacionadas à categoria conceitos obteve-se que o maior índice de acertos, esteve relacionado às características do DM tipo 2, 37 (53,6%), e os menores foram referentes à classificação do DM e ao valor de glicemia capilar ao acaso que reflete a hipoglicemia, 7 (10,1%), respectivamente. Quanto às questões relacionadas à categoria sinais e sintomas obteve-se que o maior índice de acertos foi relacionado aos sinais e sintomas clássicos de hipoglicemia, 27 (39,1%) e os menores índices de acerto foram referentes aos sintomas clássicos do DM, e os sinais e sintomas clássicos de hiperglicemia, 11 (15,9%), respectivamente. No que se refere às questões relacionadas à categoria exercício físico obteve-se que o maior índice de acertos foi relacionado às recomendações para prescrição do exercício físico para indivíduos com DM, ao exercício físico para indivíduos com neuropatia periférica, e ao exercício físico para indivíduos com retinopatia e nefropatia diabética, 55 (79,7%), respectivamente. Já os menores índices de acerto foram referentes à quantidade de carboidratos recomendada para indivíduos com DM em terapia medicamentosa durante exercícios prolongados e intensos, 4 (5,8%). Em relação ao número de respostas corretas e incorretas do questionário obteve-se que 12 (17,4%) alunos acertaram 12 e 13 questões respectivamente. Cabe destacar que 2 (2,9%) alunos não mostraram conhecimento das 27 questões do questionário, mostrando desta forma uma média de 11,1 e um desvio padrão de 3,4. Já em relação ao número de respostas incorretas obteve-se que 13 (18,8%) alunos erraram 15 questões e que um aluno (1,4%) errou 23 questões, constatando assim uma média de 15,0 e um desvio padrão de 2,8. Conclui-se que os alunos apresentaram índice satisfatório de acertos na categoria exercício físico, e insatisfatório na categoria conceitos e sinais e sintomas. Recomenda-se que as instituições de ensino superior focalizem esforços para a inclusão na grade curricular do curso de graduação em Educação Física de conteúdos que fazem a interface entre exercício físico e doenças crônicas, em particular, o DM, com vistas a enorme demanda de indivíduos com esta doença na população. 

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.