Construção e Validação de Um Instrumento Para Medir o Nível de Estresse dos árbitros dos Jogos Esportivos

Por: .

130 páginas. 2004 10/10/2004

Send to Kindle


Resumo

Os determinantes subjetivos e objetivos de uma situação juntamente com os processos cognitivos da percepção configuram a ação dos árbitros dos jogos esportivos coletivos. A tarefa de arbitrar consiste basicamente em tomar decisões em situações onde o estresse sempre está presente. A pressão das torcidas, a cobrança dos jogadores e a diferença da avaliação subjetiva de uma situação munida dos interesses e emoções da situação são fatores que contribuem para a difícil função dos árbitros. O estresse percebido situacionalmente pelos árbitros das diferentes modalidades que compõem os jogos esportivos coletivos é o construto deste estudo. O Handebol, Basquetebol, Futsal e o Futebol de Campo têm, além das semelhanças do ambiente físico e social, as tarefas técnicas e táticas dos jogadores. Essas modalidades que têm o contato físico entre os jogadores como mais um parâmetro comum entre si, sendo que caracteriza a função do árbitro destas modalidades. Construir e validar um teste para os árbitros dos jogos esportivos coletivos que analise a percepção subjetiva do estresse é o objetivo deste estudo. A crescente busca por instrumentos psicométricos validos que mensurem as capacidades psicológicas dos esportistas, o carente número de pesquisas com a população de árbitros são uns dos principais motivos que justificam este trabalho. Os itens citados pelos árbitros nas entrevistas como estressantes antes, durante e depois o jogo foram analisados semanticamente e avaliados por um conjunto de peritos para definir os fatores os quais os itens poderiam ser divididos. Um instrumento piloto foi aplicado para 109 árbitros de Futebol de Campo objetivando medir o quanto esta população percebe o estresse. Para medir o quanto de estresse foi utilizado no teste uma escala de Likert de 0 (zero) a 4 (quatro) pontos. A análise fatorial exploratória definiu o um único fator – estresse situacional com o KMO de 0,518. O nível de confiabilidade do teste foi dado através do valor de Alfa de Cronbach α = 0,9628, valor > 0,90 é considerado pela literatura como valor desejável para validar um instrumento. A análise fatorial, que corrobora com a validade interna do teste, definiu o mesmo como unidimensional, somente um fator - Estresse Situacional. As análises do instrumento foram feitas com 75 itens e na versão final do teste indicando validação foram descartados 6 itens, ficando o TEPA -Teste de Estresse Para Árbitros- com 69 itens para medir a percepção subjetiva dos árbitros dos jogos esportivos coletivos. 

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2018 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.