Construindo Representações Sobre o Estádio do Maracanã: Análises de Periódicos de 1947 a 1950

Por: Ana Beatriz Correia de Oliveira Tavares e Sebastião Josué Votre.

XIII Congresso Internacional da ISHPES

Send to Kindle


Resumo

As construções esportivas, verdadeiros templos do esporte, são exemplos de lugares com significados simbólicos, culturais e emocionais. Lugares que com o tempo vão formando uma consciência que perpassa gerações, construindo uma memória social repleta de representações. O presente artigo teve como objetivo analisar reportagens veiculadas pelo Jornal dos Sports, Jornal O Globo e Jornal do Brasil dos anos de 1947, período em que se iniciaram as discussões acerca da necessidade do Brasil ter um estádio digno de receber os jogos de uma Copa do Mundo, até 1950, ano da inauguração do Estádio Jornalista Mário Filho – Maracanã, buscando verificar até que ponto essas notícias colaboraram para que o estádio tenha se tornado um símbolo nacional, um espaço pleno de representações sociais que contribuem para determinados comportamentos e práticas dos torcedores. A metodologia utilizada foi a análise do conteúdo (Bardin, 2011), onde estabelecemos como unidade de análise as manchetes e reportagens da primeira capa dos periódicos sobre o Maracanã e como unidade de contexto as continuações das reportagens nas páginas internas. A partir das leituras percebemos que os periódicos trataram de maneira diferenciada o assunto. O Jornal dos Sports foi o que efetivamente contribuiu para a construção de representações sobre o estádio do Maracanã. As notícias permitiram inferir, num primeiro momento a necessidade de participação de toda a sociedade em prol da construção, pois o estádio seria do povo, de toda uma nação e, num segundo momento, perceber que as ideias que circulavam eram voltadas para a grandiosidade da obra, para a magnitude do feito.
 

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.