Consumo de Ergogênicos Por Praticantes de Musculação nas Academias

Por: , Francisco Jocélio Araújo, Jurandir Fernandes Cavalcante, Luiz Torres Raposo Neto, Roberta Oliveira da Costa, Ronnisson Luís Carvalho Barbosa e Valmir Arruda de Sousa Neto.

Coleção Pesquisa em Educação Física - v.16 - n.2 - 2017

Send to Kindle


Resumo

O consumo dos ergogênicos por praticantes de musculação é comum nas academias. O uso desses recursos tem se tornado indiscriminado. Deste modo, a presente pesquisa tem como objetivo investigar o consumo dos principais suplementos alimentares, os produtos ergogênicos mais utilizados, esteroides anabólicos, as formas de indicação de consumo e seus efeitos. Consiste em uma pesquisa de metodologia transversal, descritiva e quantitativa, desenvolvida através de um estudo de campo, envolvendo praticantes de musculação nas academias, onde foi aplicado um questionário estruturado para a coleta de dados. A amostra desse estudo se configurara com 51 praticantes de musculação das academias de Fortaleza em ambos os sexos, com idade de 18 a 45 anos. Observou-se que 100% (x=51) dos entrevistados consomem recursos ergogênicos, sendo 68,6% (x=35) do sexo masculino e 31,4% (x=16) do sexo feminino, dos quais 37,25% (x=19) têm ensino superior completo e o suplemento mais utilizado foi Whey Protein com 66,67% (x=34), sendo a fonte de prescrição 37,25% (x=19) de colegas da musculação, os Esteroide Anabólico mais usado foi Durateston com 23,53% (x=12), dos 51 indivíduos, 21 utilizavam esteroides anabólicos (41,18%), sendo 18 homens (35,29%) e 3 mulheres (5,88%). Pode-se concluir que o uso de suplementos nutricionais está cada vez mais crescente entre os praticantes de musculação, onde a grande maioria dos usuários são homens. Assim, campanhas educativas devem se intensificar no âmbito da prática esportiva e, principalmente, nas academias de musculação sobre a utilização de ergogênicos.

Endereço: https://www.fontouraeditora.com.br/periodico/home/viewArticle/1314

Comentários


:-)





© 1996-2021 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.