Contribuição das Tecnologias Educacionais Para a Reformulação, Implementação e Avaliação Processual do Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Educação Física da Ufu

Por: Rossana Valéria de Souza e Silva.

X EnFEFE - Encontro Fluminense de Educação Física Escolar

Send to Kindle


Introdução

O desenvolvimento do projeto intitulado "Contribuição das tecnologias educacionais para a reformulação, implementação e avaliação processual do Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Educação Física da UFU" situou-se no âmbito do desenvolvimento de novas tecnologias educacionais e teve como meta principal a melhoria da qualidade de ensino oferecida aos acadêmicos do curso de Licenciatura em Educação Física da Universidade Federal de Uberlândia. Não se tratou de um projeto inicial, visto que já reunimos algumas experiências voltadas para a geração de tecnologias educacionais, para as idéias de Educação Física e Educação Especial.

Criamos, em 1994, com o apoio do NUPRO e do Sistema de Bibliotecas da UFU, o Nuteses - Núcleo Brasileiro de Dissertações e Teses em Educação Física, Esportes e Educação Especial, centro de documentação nacional responsável pela coleta, armazenamento, divulgação e produção de pesquisas relacionadas às teses e dissertações dessas duas áreas. O Núcleo dispõe de mais de duas mil teses e dissertações, cujos textos foram digitalizados e estão disponibilizados na íntegra, com o apoio financeiro do Ministério do Esporte e CNPq. Além disso, no ano de 2004, iniciamos o projeto denominado: "Novas tecnologias e melhoria da qualidade da formação do futuro professor de Educação Física da UFU." Este projeto teve como produto, fruto do seu objetivo geral, Cd Rom interativo voltado para os conteúdos da disciplina Metodologia da Pesquisa.

Os cursos de graduação encontram-se diante da necessidade, em função de exigências legais, da elaboração e submissão de seus Projetos Pedagógicos aos órgãos e colegiados superiores de suas respectivas instituições. Esse fato exige uma séria e rigorosa reflexão sobre o papel da Educação Superior. Exige, ainda, que determinadas ações sejam implementadas com o intuito de reunir o maior número de elementos que favoreçam não só a elaboração e apreciação dos Projetos Pedagógicos, mas principalmente a sua implementação, ou seja, a sua viabilização nas práticas cotidianas que ocorrem no ambiente universitário.

Além da exigência de reformulação dos Projetos Pedagógicos, os cursos e toda a Instituição Universitária enfrentam um outro desafio, também por força de exigências legais. Trata-se da avaliação da Educação Superior, que se direciona não só aos cursos, mas também aos estudantes e a tudo que diz respeito às instituições de educação superior: o ensino, a pesquisa, a extensão, a gestão, os egressos e o entorno social.

Contudo, tanto o processo de construção e execução das mudanças previstas nos Projetos Pedagógicos dos cursos, quanto à necessidade de avaliação de educação superior, esbarram em uma série de dificuldades advindas de uma cultura universitária que não privilegiou ao longo dos anos, práticas que possibilitassem termos hoje informações consistentes para atender às novas demandas.

Dentre elas podemos citar o caso dos egressos. Em geral a universidade não tem informações sobre os destinos daqueles que forma; não possui dados sistematizados sobre os locais e setores de atuação dos egressos; as dificuldades encontradas; os salários percebidos, nem sobre a eficácia da formação fornecida. No caso das instituições públicas apenas esse fato já evidencia a urgência de repensarmos os mecanismos que vimos em nossas práticas acadêmico-institucionais.

Podem, ainda, mencionar o caso da avaliação. A falta de acompanhamentos e avaliações sistemáticas do que fazemos e produzimos dificulta a capacidade de identificarmos com clareza de onde partimos, aonde nos encontramos e o que pretendemos alcançar. No que se refere à UFU, não se pode negar que alguns esforços já foram empreendidos por pessoas, grupos, unidades e setores, na tentativa de avaliar alguns aspectos do amplo espectro que constitui a universidade. Porém, isso foi feito de modo esparso, sem regularidade temporal e sem preocupações com uma visão global da instituição.

O presente projeto de ensino justificou-se, portanto, por razões de ordem prática, pela possibilidade que abre de superarmos algumas dessas dificuldades. As informações que serão sistematizadas, a partir do recurso tecnológico criado, possibilitarão gerar e gerenciar informações que facilitarão tanto a elaboração, implantação e acompanhamento do novo Projeto Pedagógico, em construção no curso de Educação Física, quanto a produção de informações consistentes e atualizadas para a alimentação constante de processos avaliativos internos, do curso e da instituição e externos.

Na atualidade, e em distintas sociedades, as tecnociências têm sido alvo de constantes reflexões. Vistas como forças produtivas essenciais para o atual padrão de acumulação das sociedades capitalistas industriais, as tecnociências não estão apartadas ou imunes às contradições do capital. As condições de produção, de legitimação e o acesso público aos conhecimentos tecnocientíficos têm gerado tensões e fornecido elementos para a formulação renovada de problemas para estudos filosóficos e sócio-antropológicos. (TEIXEIRA; CORTES, 2005).

Apesar da forte identificação das tecnociências como forças propulsoras da modernização, associada ao bem estar social, pairam sobre as sociedades contemporâneas os riscos e ameaças em grandes proporções, provocados pelos avanços tecnológicos. Exemplos disso podem ser em grandes proporções, provocados pelos avanços tecnológicos. Exemplos disso podem ser auferidos nas discussões de problemas éticos, potencializados pelos diferentes usos da genômica; no debate sobre o uso de alimentos transgênicos e sobre o uso da biotecnologia para o desenvolvimento de armas biológicas. Mesmo os tão propalados benefícios da nanotecnologia, exprimem também os seus riscos e ameaças para a comunidade mundial.

Todavia, malgrado esse caráter contraditório, muitos países têm investido nas práticas de popularização.
A preocupação expressa pelos autores que discutem a democratização o acesso aos benefícios das tecnologias, fundamenta-se na constatação da exclusão como característica inerente ao sistema capitalista. Essa característica leva à necessidade de reflexão a respeito da intervenção da Universidade e, em especial, dos cursos de formação de professores, no sentido de formar um homem que não assimile passivamente uma organização social em que haja divisão entre os que pensam e os que executam os que produzem e os que usufruem, os que têm uma relação ativa e participativa com o conhecimento e a informação e os que lidam passivamente com eles. No momento, com tudo, as novas tecnologias da informação e da comunicação vêm suscitando, pelo seu desenvolvimento acelerado e potencial de aplicação, novas abordagens de utilização no processo educativo. A realidade em mostrado cada vez mais a necessidade de a escola rever o seu projeto pedagógico, reconhecendo de forma crítica e adequada à presença das novas tecnologias na vivência do aluno fora do contexto escolar. Daí a importância da inclusão dos múltiplos domínios da realidade em suas dinâmicas curriculares.

(OLIVEIRA,1997; SILVA, 2001).

A presença dos modelos informáticos na sociedade e o desenvolvimento tecnológico, vistos de forma mais abrangente e mais crítica, exige as suas inclusões nos projetos pedagógicos da formação de professores, de modo que se criem novas possibilidades para o processo de ensino-aprendizagem e de reflexão sobre o cotidiano acadêmico. Essa inclusão pode ser feita pela criação de ambientes propícios para a utilização desses recursos e, é isso que propomos com o presente projeto: fazer uso das tecnologias existentes para a melhoria da qualidade de ensino e consequentemente da formação do professor de Educação Física oriundo da UFU. Contudo, essa ação pedagógica deve estar fundada em uma concepção de conhecimento que reconheça a importância a reflexão crítica a respeito da utilização dos recursos existentes e suas implicações e impactos sociais.

Diante disto, o presente projeto teve, como objetivo geral a criação de um banco de dados em cujo domínio alunos, egressos e professores do Curso de Licenciatura em Educação Física interagirão fornecendo informações sobre o curso e as disciplinas: suas deficiências, avanços e alternativas para implementação de melhorias, especificamente no que diz respeito aos assuntos afetos ao ensino. Mais especificamente, o desenvolvimento deste projeto visou:

-Criar no banco de dados opções de formulários eletrônicos para que os alunos e egressos avaliem constantemente as disciplinas oferecidas pelo curso de Licenciatura em Educação Física: seus conteúdos, metodologias de ensino; formas e critérios de avaliação; bibliografias, atuação do professor (domínio do conteúdo, assiduidade, pontualidade) e outros dados que julguem relevantes.

-Criar um banco de dados opções de formulários eletrônicos para que os professores avaliem as condições de ensino oferecidas pelo curso tais como: apoio da coordenação às atividades de ensino; infra-estrutura e recursos materiais existentes na unidade para o desenvolvimento das atividades das disciplinas; papel exercido pelos alunos e outras informações que julguem relevantes.

-Gerar e disponibilizar nas páginas iniciais do banco de dados, documentos informativos, legislações e outras informações importantes que auxiliem professores, alunos e egressos, no processo de reflexão e avaliação contínua das questões pertinentes ao ensino superior e, mais especificamente, àquelas voltadas para a formação de professores na área da Educação Física.

As ações previstas no presente projeto foram divididas em dois períodos, ambos com a duração de um ano.

O primeiro deles foi composto por 8 (oito) ações, voltadas para a confecção e disponibilização on-line de um banco de dados que deverá ser mantido por alunos, egressos e professores do curso de Licenciatura em Educação Física, com o estímulo e orientação dos bolsistas e coordenadora/orientadora do projeto. Assim reunimos o maior número possível de informações fornecidas por esses segmentos a respeito dos principais problemas e dificuldades enfrentados.

Nessa primeira fase analisamos e interpretamos os dados coletados para posterior divulgação. Este processo relaciona-se ao currículo em vigor e à elaboração e implementação do novo Projeto Pedagógico da Faculdade de Educação Física da Universidade de Uberlândia.

Foi realizada uma ampla revisão bibliográfica de obras e documentos voltados para os seguintes temas: reformulação curricular, projetos pedagógicos, avaliação do ensino avaliação de cursos, tecnologias educacionais bem como a elaboração e implementação de uma página na web (Internet).

Realizamos alguns estudos preliminares para a criação da página da internet que abriga o banco de dados. Nesta parte do projeto todos os procedimentos estão voltados para a exploração de dados organizados e sistematizados.

Posteriormente, construímos e testamos os instrumentos que compõem o programa: formulários para avaliação das disciplinas, dos docentes, dos discentes dos egressos e da gestão.

A revisão bibliográfica realizada resultou na elaboração de textos referentes aos temas supracitados, em linhas gerais, seus conteúdos versaram sobre o histórico, o conceito e suas relações com o campo acadêmico da Educação Física. Tais textos estão disponíveis no site www.avaliacao.faefi.ufu.br implementado a fim de suscitar reflexões acerca destas temáticas e subsidiar posteriores estudos aos visitantes e avaliadores ( egressos, alunos e professores).

Foram enviadas cartas a partir dos endereços existentes no curso e em outros setores da UFU, a fim de informar aos egressos, alunos e professores a respeito da existência e importância da página constituída de questionários voltados à avaliação continuada do curso de licenciatura de Educação Física - UFU e finalmente, foi elaborado o relatório final do projeto.

Foi realizado acompanhamento da disciplina Pesquisa em Educação Física, ministrada pela profª. Drª. Rossana Valéria de Souza e Silva (coordenadora/orientadora do projeto) com o objetivo de aperfeiçoar nossa fundamentação teórica para o desenvolvimento desta pesquisa.

Foi realizada, também, a aplicação de um questionário piloto a todos os alunos matriculados no Curso de Educação Física durante o segundo semestre de 2005, no qual suas questões versavam sobre as expectativas sobre a formação profissional recebida por esta instituição com a finalidade de subsidiar discussões sobre a reforma Curricular da FAEFI - UFU.

Participação em processo da primeira Avaliação Nacional de Rendimento Escolar - ANRESC (4ª e 8ª séries do ensino fundamental), regida pelas decisões do MEC - Ministério da Educação, possibilitando o contato direto com os alunos e professores, seus questionamentos e opiniões a respeito do processo avaliativo.

A possibilidade das novas tecnologias e tecnologias educacionais interferirem positivamente com o processo de avaliações de curso e ensino bem como com a reformulação curricular do curso de Licenciatura em Educação Física da Universidade Federal de Uberlândia, incitou-nos a desenvolver de forma sistemática um site para ser uma ferramenta capaz de reunir as opiniões, sugestões e críticas sobre o curso versadas pelos egressos, alunos e professores para posteriores análises quantitativas-qualitativas sobre aquelas.

Para tanto, foi necessário um amplo levantamento bibliográfico sobre a história da Faculdade de Educação Física-UFU; diretrizes curriculares; reformulação curricular; projetos pedagógicos; avaliação de ensino, avaliação de cursos; legislação; Instituições do Ensino Superior-IES; formação de professores de Educação Física bem como adquirir conhecimentos sobre o desenvolvimento de um site na Internet.

Assim, o desenvolvimento deste projeto possibilitou-nos o acesso a informações sobre a realidade das Instituições de Ensino Superior no Brasil, mais especificamente da Universidade Federal de Uberlândia, embasando-nos para discussões a respeito da presente temática.

Portanto, a participação no desenvolvimento deste projeto como proveitosa e produtiva, por ter permitido uma reflexão subsidiada sobre a estrutura que rege minha própria formação; a compreensão sobre como as tecnologias educacionais podem contribuir na reformulação, implementação e avaliação processual do Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Educação Física da UFU; a satisfação por ter a expectativa que esta ferramenta contribuirá para a melhoria do mesmo; bem como perceber que podemos ser agentes interferentes diretos nas decisões do projeto pedagógico desta instituição.

Acreditamos na importância da concretização do presente projeto por abordar a presença dos modelos informáticos na sociedade e o desenvolvimento tecnológico, vistos de forma mais abrangente e mais crítica, que exigem as suas inclusões nos projetos pedagógicos da formação de professores, de modo que se criem novas possibilidades para o processo de ensino aprendizagem e de reflexão sobre o cotidiano acadêmico.


Obs
. Os autores Rossana Valéria de Souza e Silva.( rossana@ufu.br), Leonardo Santos Amâncio Cabral (leonardo_educa@yahoo.com.br), Thaís Cristina de Oliveira (thais_educa@yahoo.com.br), Suélen Fernandes Pereira (suelensfp@yahoo.com.br) e Gláucia Fernandes Matias (glauciafmeduca@yahoo.com.br) são alunos da UFU..

Referências bibliográficas:

  • Bastos, João Augusto de Sousa L. A Educação e Tecnologia. Rev. Técnico Científica dos Programas de Pós-graduação em Tecnologia dos CEFETs. PR/MG/RJ. Curitiba, ano 1, n.1, abr. 1997. p. 4 - 29.
  • Ferkiss, Victor C. O homem tecnológico: mito e realidade. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1972.
  • Frigotto, Gaudêncio. Cidadania , tecnologia e trabalho: desafios de uma escola renovada. Tecnologia Educacional, Rio de Janeiro, ABNT, n. 107, jul-ago. 1992.
  • Fromm, Erich. A revolução da esperança: por uma tecnologia humanizada. 5ª ed. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1984.
  • Gutierrez, S.S. Mapeando caminhos de autoria e autonomia: a inserção das tecnologias educacionais informatizadas no trabalho de educadores que cooperam em comunidades de pesquisadores. 2004.233f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. 2004.
  • Kawamura, L. K. Novas Tecnologias e educação. São Paulo: Ática, 1990.
  • Marcuse, Herbert. Ideologia da sociedade industrial. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1967.
  • Morais, João Francisco R. de. Ciência e Tecnologia. 2ª ed. São Paulo: Cortez: Moraes Editora, 1978.
  • Oliveira, Celina Couto de; Costa José Wilson da; MOREIRA Mercia. Ambientes informatizados de aprendizagem: Produção e avaliação de Software educativo. Campinas, SP: Papirus, 2001.
  • Oliveira, Ramon. Informática Educativa: dos planos e discursos à sala de aula. Campinas, SP: Papirus, 1997.
  • Silva, Jefferson I. da. A educação e a revolução científica e técnica Contemporânea. Revista ANDE. São Paulo, v. 11, n. 18, p. 5-13, 1992.

Tags: Nenhuma cadastrada :(

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.