Contributo da Dança Para a Qualidade de Vida na Terceira Idade

Por: Ana Paula Batalha e Isabel Varregoso.

VII Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Numa perspectiva de educação permanente, a Dança é, hoje em dia, considerada como uma actividade física, cultural e artística que, devido às características e potencialidades próprias, pode assumir papel importante na vida dos indivíduos, o que se torna mais significativo ao falar de pessoas idosas. Estudos desenvolvidos nas últimasdécadas têm demonstrado os efeitos benéficos da dança para os idosos (físicos, psicológicos e sociais), contribuindo para uma melhor Qualidade de Vida. Objectivo: de entre as diversas formas de dança, elegemos as Danças Tradicionais Portuguesas (DTP) e, pretendemos verificar se estas possuíam características que permitissem apresentá-las como actividade adequada aos idosos, numa perspectiva de Lazer,Saúde e Bem-Estar. Metodologia: foi realizada uma recolha de 200 DTP e procedemos à sua análise (contextual e estrutural, relacionai, espacial, rítmica, motora e expressiva). Resultados: verificámos que, devido à diversidade e às características intrínsecas, foi possível seleccionar 40 danças ajustadas às necessidades e possibilidades dos idosos, que podem melhorar as suas condições de vida pois encerram as seguintes componentes: a) biológico-funcional (melhoria das funções cardio-respiratória, circulatória e controlo da obesidade);motora(melhoria das habilidades e das capacidades motoras da força, flexibilidade, resistência, equilíbrio, orientação espacial, ritmo e ajustamento postural); c) cognitiva (melhoria da atenção, memória, concentração e conhecimentos); d) psicológica, social e afectiva (melhoria da auto-estima, do autoconceito, das relações afectivas e sociais, da ocupação dos tempos livres, do convívio/ recreação e inversão do stress, depressão e isolamento); e) artística e cultural (melhoria do sentido estético e crítico, da capacidade criativa e da identidade). Conclusão: o aumento do número de idosos no mundo e o aumento dos tempos de lazer, constituirão um problema político e social significativo nas próximas décadas, perante o qual, é necessário implementar programas variados de actividades para a terceira idade que promovam a qualidade de vida e estilos de vida saudáveis, onde as danças tradicionais, feitas de forma regular e controlada, podem ter o seu lugar. Concluímos que as DTP encerram qualidades intrínsecas que permitem apontá-las como prática regular que contribue para a saúde e bem-estar das pessoas idosas, com a forte possibilidade de constituir uma actividade de lazer privilegiada no 3Smilênio.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.