Controle de Si, Dor e Representação Feminina Entre Lutadores(as) de Mixed Martial Arts

Por: Cláudia Emília Aguiar Moraes, Felipe Quintão de Almeida e Samuel Oliveira Thomazini.

Pensar a Prática - v.11 - n.3 - 2008

Send to Kindle


Resumo

Trata-se de uma pesquisa realizada em três academias especializadas em Mixed Marcial Arts (MMA). Analisa alguns elementos indispensáveis à forja identitária de lutadores(as) desta modalidade. A etnografia durou sete meses, oportunidade para combinar uma observação participante (devidamente registrada no diário de notas) com a realização de entrevistas semi-estruturadas com os(as) atletas. Fotografias e filmagens dos locais de treinamento e de competição foram recursos metodológicos também úteis. Os resultados indicam a existência de processos bioidentitários vinculados ao controle de si e à racionalização da dor, apontando, além disso, para uma representação ambígua em relação à presença feminina em um universo ainda predominantemente masculino.

Endereço: http://www.revistas.ufg.br/index.php/fef/article/view/4992/4974

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.