Corpo e Gênero nas Práticas Escolares de Educação Física

Por: Francis Madlener de Lima e Nilson Fernandes Dinis.

Currículo sem fronteiras - v.7 - n.1 - 2007

Send to Kindle


Resumo

A Educação Física, no contexto da sociedade capitalista, passa a ser uma ferramenta importante para a adequação dos corpos ao novo modelo de produção. Nesta disciplinarização dos corpos, os métodos ginásticos e a posterior inserção da Educação Física nas escolas trazem consigo formas de intervenção que se caracterizam por uma disciplina imposta e uma internalização e auto-regulação dos indivíduos. Toda metodologia de ensino da Educação Física nas escolas mantém essas raízes em práticas anteriormente ligadas à produção de trabalhadores e sua preparação física e moral. Estas práticas escolares continuam solidificando a distinção dos indivíduos feita através de suas capacidades físicas e também de seu sexo biológico, através da noção de papéis sociais ligados a cada gênero. Sendo assim as aulas de Educação Física separam as meninas dos meninos, determinam suas características e perpetuam um modelo em que ao homem cabe um papel ativo, violento e competitivo, restando às mulheres o seu oposto. Busca-se perceber, através desse artigo, de que forma se dá essa produção de sujeitos e suas identidades de gênero nas práticas atuais da Educação Física.

Endereço: http://www.curriculosemfronteiras.org/vol7iss1articles/limadinis.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.