Corporeidade no Esporte: a Busca de Uma Percepção

Por: Dourival Teixeira, Roseli T. Selicani Teixeira e .

Revista da Educação Física - UEM - v.6 - n.1 - 1995

Send to Kindle


Resumo

Este estudo tem por finalidade fazer uma análise da corporeidade no esporte, buscando captar a percepção de corpo dos desportistas que disputaram os Jogos Abertos do Paraná no ano de 1994. Identifica-se, na revisão de literatura, uma visão dualista de corpo que se iniciou com o pensamento filosófico a partir da Antiga Grécia (ou quem sabe até anteriormente) com Platão, Sócrates e Aristóteles (séc. IV e V a.C.) e sedimentou-se em Descartes (séc XVI e XVII), mantendo-se até nossos dias. Observamos autores como Meleau-Poutry, entre outros, que propõem um outro entendimento sobre o ser no mundo, a percepção de corpo dos desportistas aos seguintes tópicos: a) refletindo sobre o próprio corpo após a experimentação do jogo; b)relembrando situações específicas vividas durante o jogo; c) o corpo do adversário; d) motivos que o levaram a competir. O esporte é um campo de experimentação humana e como tal, deve privilegiar a formação de um ser total, onde o desportista possa viver seu corpo com liberdade, expressividade e não seja domesticado e automatizado como uma máquina.

Endereço: http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/RevEducFis/article/view/3973/2746

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.