Correlação Entre Diferentes Indicadores Antropométricos de Fatores de Risco à Saúde em Universitários

Por: , Paula Mercedes Vilanova Ilha, Priscilla Marques e Rosane Carla Rosendo da Silva.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Justificativa: A obesidade tem sido apontada na literatura como um problema de saúde pública fortemente associada a um grande número de doenças crônicas não transmissíveis. Considerando que o acúmulo de gordura na região do abdome vem sendo descrito como o tipo de obesidade que oferece maior risco para a saúde dos indivíduos por estar fortemente associada às doenças cardiovasculares, entre elas a doença arterial coronariana, alguns indicadores antropométricos vem sendo utilizados com freqüência para avaliação da obesidade e distribuição da gordura corporal. Objetivos: Identificar a correlação existente entre indicadores de fatores de risco à saúde em universitários da Universidade Federal de Santa Catarina UFSC. Metodologia: A amostra foi composta por 236 universitários (122 homens e 114 mulheres), com idade entre 17 e 27 anos (média=21,78 ±2,31) da cidade de Florianópolis, SC. Foram mensuradas as variáveis de massa corporal, estatura e circunferências de cintura e quadril para o cálculo dos indicadores antropométricos: índice de massa corporal (IMC), circunferência de cintura (CC), razão cintura-quadril (RCQ) e índice de conicidade (IC). Utilizou-se para a análise dos dados a estatística descritiva e a correlação linear de Pearson (r) com o auxílio do pacote estatístico SPSS 11.0, estabelecendo o nível de significância em 0,05. Resultados: Os valores médios encontrados quanto aos indicadores antropométricos foram de 21,89 ±2,80 kg.m-2 para o IMC; 75,10 ±8,50 cm para a CC; 0,79 ±0,06 para a RCQ e 1,13 ±0,07 para o IC. Com o nível de significância de 0,01, o coeficiente de correlação apontou uma forte associação entre o IMC e a CC (r = 0,822), uma boa associação entre a CC e a RCQ (r = 0,787), uma associação razoável entre o IMC e a RCQ (r = 0,466) e uma baixa correlação entre o IMC e o IC (r = 0,368). Conclusões: Os resultados sugerem que o IMC, a CC e a RCQ apresentam um potencial semelhante para a determinação da distribuição da gordura corporal na população pesquisada e suas possíveis associações com o risco de desenvolver doenças cardiovasculares

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/66_Anais_p303.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2014 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.