Correlação Entre a Flexibilidade Multiarticular e o Desempenho Funcional de Idosas Fisicamente Ativas em Tarefas Motoras Selecionadas

Por: , Ana Paula Nunes Cavalcante, Maria Joana Carvalho, e Rodrigo Barbosa de Albuquerque.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.9 - n.3 - 2007

Send to Kindle


Resumo

Medidas multiarticulares da mobilidade podem ser mais adequadas para estabelecer relações entre fl exibilidade e funcionalidade, mas faltam estudos que confi rmem essa relação em idosos. O presente estudo verifi cou a relação entre a fl exibilidade multiarticular e o desempenho funcional de 30 idosas (idade = 68±1 anos), funcionalmente independentes e fisicamente ativas. Para a medida da flexibilidade utilizou-se o teste de sentar-e-alcançar na cadeira (Chair Sit-and-Reach Test – CSRT). O desempenho funcional (DF) foi aferido pela amplitude do passo (AMP), o tempo gasto para calçar e amarrar cadarços de sapatos esportivos (tênis) (CAT) e tempo para subir um lance de degraus (SD). Para testar a relação entre as medidas de fl exibilidade e os testes de DF utilizaram-se técnicas de correlação simples e múltipla. A correlação simples revelou-se signifi cativa entre o CSRT e o CAT (r = -0,37; p<0,05), mas não para AMP e SD. A correlação múltipla não identifi cou associação entre o conjunto de testes de DF e o CSRT (R = 0,37; p = 0,26), mas a melhor associação parcial, ainda que não signifi cativa, foi novamente para o CAT (ß = -0,38; p = 0,05). Os resultados sugerem que o CSRT não é um bom preditor do DF em mulheres idosas independentes e ativas, apesar de poder associar-se relativamente bem com tarefas específi cas, que dependam estreitamente da flexibilidade de quadril e tronco.

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/4078

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.