Correlação Entre índices Antropométricos e Distribuição de Gordura Corporal em Mulheres

Por: , Daniela Lopes dos Santos, Manuela Barreto de Araújo Gomes e Marcius de Almeida Gomes.

Revista Brasileira de Cineantropometria & Desempenho Humano - v.8 - n.3 - 2006

Send to Kindle


Resumo

Este estudo tem como objetivo analisar a relação entre os índices antropométricos (IA), com o percentual de gordura corporal total (%GTOTAL) e de tronco (%GTRONCO) em mulheres idosas, verificando a prevalência de risco à saúde quando associado ao acúmulo de gordura corporal total em relação aos diferentes IA. Trata-se de um estudo descritivo correlacional, onde foram avaliadas 60 mulheres entre 60 e 80 anos de idade, todas aparentemente saudáveis. As variáveis de massa corporal (kg), estatura (cm), perímetros da cintura (cm), abdômen (cm) e quadril (cm) foram mensurados e posteriormente calculou-se os seguintes IA: índice de massa corporal (IMC), razão cintura quadril (RCQ), índice de conicidade (IC) e circunferência de cintura (CC). A Absortometria Radiológica de Dupla Energia (DEXA) foi utilizada para a estimativa do %GTOTAL e do %GTRONCO. Para identificar a relação entre os índices antropométricos e o %GTOTAL e %GTRONCO, utilizou-se à correlação Linear de Pearson e a análise de regressão Linear Simples, adotando-se um nível de significância de p < 0,05. Os resultados demonstraram que o IMC apresentou uma correlação forte com o %GTOTAL (r=0,73; p < 0,05) e com %GTRONCO (r=0,71; p < 0,05), outro índice com uma forte relação com o %GTOTAL (r=0,61; p < 0,01), foi a CC, que apresentou também uma correlação forte para com o %GTRONCO (r=0,64; p < 0,01). Na análise da prevalência de risco à saúde, adotando como critério o %GTOTAL pela DEXA (%G>30%), observou-se que 83,3% apresentam um risco associado à saúde, já quando utilizado o IMC essa prevalência foi de 78,8% (IMC), 90% para o IC, 88% para a CC e 38% para a RCQ e quando utilizado a combinação do IMC e CC a prevalência foi de 90% das idosas classificadas com risco à saúde. Assim, conclui-se que o IMC e a CC em mulheres idosas podem ser utilizados no diagnóstico de excesso de gordura corporal, pois apresentaram boa correlação, tanto na análise do %GTOTAL e do %GTRONCO. O

Endereço: https://periodicos.ufsc.br/index.php/rbcdh/article/view/3905

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.