Correlação Entre Testes de Força e Potência em Terra Seca com Força Propulsora em Nado Atado

Por: A. R. Soares, B. L. S. Bedo, G. P. Moraes, J. M. G. Pedroso, M. Papoti, P. R. P. Santiago, R. B. Gobbi e T. B. Arruda.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

O treinamento de força realizado fora d'água é comumente utilizado por muitos técnicos e nadadores com o objetivo de aumentar a força propulsora em ambiente aquático. Os testes de força em terra seca como saltos, flexões de braços e arremessos são usados para medir força tanto em membros superiores quanto inferiores. O objetivo do presente estudo foi verificar as possíveis associações entre testes de força em terra seca com os parâmetros de força obtidos por meio do nado atado.Participaram do presente estudo, 21 nadadores, sendo 14 do sexo masculino e 7 do sexo feminino, 18 anos ± 2, pertencentes à uma equipe de natação de Ribeirão Preto. Os atletas foram submetidos a dois dias de avaliação com intervalo de 48 horas. No primeiro dia os nadadores realizaram os testes de terra seca que consistiu de salto vertical (SV), salto horizontal (SH), flexão de braço (FB) e arremesso de medicine ball (AR). No segundo dia os atletas realizaram um esforço máximo de 30s de forma allout em nado atado, com frequência de aquisição de 1000 Hz, posteriormente foram determinados a força pico (Fpico ), força média (Fmed) e o índice de fadiga (IF). O teste de Correlação de Pearson utilizado para verificar as possíveis associações entre testes de força em terra seca com os parâmetros de força obtido no nado atado. O valor de significância foi prefixado em p < 0,05. Os resultados encontrados com média e desvio padrão foram: SV(H = 83,57±11,09; M = 52,14±10,88 cm); SH (H = 2,12±0,24; M = 1,54±0,20 m), FB (H = 42,86±8,81; M = 28±8,23 reps), AR (H = 4,39±0,47; M = 3,68±0,43 m) Fpico (H = 24,15±8,13; M = 14,41±2,83 / kgf), Fmed (H = 12,26±2,39; M = 6,78±1,40 / kgf), IF (H = 344,94±182,64; M = 221,27±60,64 / kgf.s). Entre os homens, a única associação significativa entre testes de força em terra seca com força obtida através do nado atado foi a Fmed com o AR (r=0,68), que apresentou correlação moderada de 0,68. Já entre as mulheres, nenhuma associação significativa foi observada (entre os testes de força em terra seca quando correlacionados com os parâmetros de força obtidos no nado atado). Pode-se concluir que os testes motores de terra seca não apresentam correlação com os índices de força propulsora em nado atado, devendo portanto ser utilizado com cautela para avaliação dos efeitos do treinamento específico para nadadores.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.