Correlação Entre Variáveis de Protocolo Específico de RSA com Demanda Técnica e Salto e índice de Aptidão Aeróbia (Yo-Yo IR1) em Jovens Jogadores de Basquetebol

Por: A. M. Zagatto, F. A. Barbieri, F. Milioni e P. E. Redkva.

IX Congresso Internacional de Educação Física e Motricidade Humana XV Simpósio Paulista de Educação Física

Send to Kindle


Resumo

No basquetebol os aspectos fisiológicos são considerados atributos importantes que contribuem para o sucesso no jogo. A modalidade é considerada um esporte intermitente de alta intensidade, sendo o metabolismo energético suprido predominante pela via aeróbia, o que auxilia na recuperação entre os momentos de alta intensidade, tais como saltos e sprints curtos realizados com pequenos períodos de descanso. Com isso, objetivo do presente estudo foi correlacionar as variáveis apresentadas em protocolo para avaliar RSA e a aptidão aeróbia de jovens jogadores de basquetebol. Participaram do estudo 26 jogadores de basquetebol das categorias de base de uma equipe de elite do estado de São Paulo com idade entre 15 e 18 anos, massa corporal de 82,2±12,5 kg, e estatura de 1,92±0,09 m. Os jogadores foram submetidos ao protocolo de Yo-Yo Intermittent Recovery Level 1 (Yo-Yo IR1), sendo a distância total percorrida (DTP) durante o teste (incluindo a última corrida incompleta) considerada como resultado válido. Para o protocolo de RSA foram aplicados dez corridas máximas de 30m com duas mudanças de direção de 180º (10m+10m+10m) e 30s de intervalo entre as corridas. Os tempos realizados em cada sprint foram registrados por células fotoelétricas. Durante o intervalo entre cada sprint os atletas realizaram um salto vertical máximo contra o movimento (conter movement jump) e uma série de três arremessos de lance livre. No protocolo de RSA foram mensurados o tempo total de sprint (TT), melhor tempo de sprint (MT); tempo médio de sprint (TMed) e índice de fadiga (IF) (IF% = 100x(TT/(MTx10))-100). Nos saltos verticais verificou-se o melhor salto (Msalto) e altura média dos saltos (Medsalto). Para os arremessos foi verificado o percentual de acertos (%Ar). Para a análise dos resultados foi utilizado o teste de correlação de Pearson (p<0,05). Foram obtidos no Yo-Yo IR1 VO2max estimado de 52,44 ±4,31 ml.kg.min-1 e DTP de 1909±585m. Para o protocolo de RSA o TT foi 71,14±4,05 s, MT de 6,74±0,32 s, TMed de 7,50±0,49 s e IF de 5,40±2,17 %. O Msalto mensurado foi de 35,17±5,41 cm e o Medsalto de 31,42±4,69 cm. Os atletas obtiveram %Ar de 57,06±16,31 %. Foram encontradas correlações significativas entre todas as variáveis do protocolo de RSA, ou seja, TT (r=- 0,79; p= 0,01), MT (r= -0,75; p= 0,01), TMed (r= -0,71; p= 0,01), IF (r= -0,50; p= 0,05), Msalto (r=0,44;p=0,05), Medsalto (r=0,58; p=0,01) e %Ar (r=0,50; p=0,05) com a DTP no Yo-Yo IR1. Com base nos resultados apresentados, sugestionamos que em atletas jovens de basquetebol, as variáveis relacionadas ao protocolo de RSA específico proposto pela presente investigação, composta por estímulos máximos acrescidos de salto e componente técnico (série de arremessos) foi correlacionada com a aptidão aeróbia mensurada através dos índices no Yo-Yo IR1, sendo possível assumir que a aptidão aeróbia revela-se como fator determinante na sustentação dos esforços máximos realizados pelos atletas.

Endereço: http://www.periodicos.rc.biblioteca.unesp.br/index.php/motriz/article/view/10060/10060

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.