Correlações Entre o Ganho Aeróbio e as Mudanças na Composição Corporal Após Treinamento Físico Aeróbio em Homens de Meia-idade

Por: Andreia Gulak, Aurea Maria Oliveira da Silva, Claudinei Ferreira dos Santos, Jose Rocha, Mara Patrícia Traína Chacon-Mikahil, Tatiana Vasques Giacomello, Thiago Gaudensi Costa e Vera Aparecida Madruga Forti.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo


Introdução: É cada vez mais usual o exercício físico ser prescrito para
aumento da aptidão física e como forma preventiva de vários fatores de
risco, como por exemplo, o sobrepeso e a obesidade. Desta forma, o
exercício físico regular pode induzir adaptações favoráveis à saúde e a
qualidade de vida das pessoas. O presente trabalho objetivou verificar se
os parâmetros de ganho aeróbio obtidos correlacionaram-se com as
mudanças nos indicadores de composição corporal (ICC) após um
programa de treinamento físico aeróbio (TFA). Metodologia: 18 homens,
saudáveis e sedentários (47,95±4,9 anos) foram submetidos a 12 semanas
TFA (três sessões semanais, caminhadas e trotes com intensidade de 70-
85% FCpico obtida em esteira rolante até a exaustão). Foram coletados no
pré e pós-treinamento variáveis cardiorrespiratórias e ICC, cujas diferenças
absolutas foram correlacionadas (Pearson, nível de significância 5%).
Resultados: a análise comparativa dos dados pré e pós-treinamento mostrou
significativas alterações (aumento do desempenho aeróbio mensurado pela
velocidade pico de corrida (+14,80%) e mudanças favoráveis na composição
corporal, como a redução na massa corporal total (- 1,54%), na massa
gorda (- 4,85%), e do % gordura (- 3,42%). Apesar do direcionamento
positivo destas alterações, ao correlacionarmos as diferenças absolutas
obtidas após o treino entre os indicadores aeróbios e os de CC, observamos
que estas foram baixas: FC repouso vs. massa corporal, r=0,04; FC repouso
vs. massa gorda, r=0,12; FC repouso vs. % gordura, r=0,18; Velocidade
Pico vs. massa corporal total, r= -0,07; Velocidade Pico vs. massa gorda,
r= -0,01; Velocidade Pico vs. % gordura, r= -0,06. Conclusões: Apesar das
alterações positivas observadas mesmo em um curto período de TFA, onde
observamos melhora na capacidade cardiorrespiratória e mudanças na CC,
ao analisarmos as baixas correlações obtidas, pode-se inferir que, para o
grupo estudado, estas alterações foram independentes entre si. Suporte:
PIBIC/CNP

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/64_Anais_p277.pdf

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.