Correlatos do Padrão do Comportamento Sedentário em Adolescentes de Londrina-pr

Por: Drielly Elvira Ramos.

93 páginas. 2017 27/10/2017

Send to Kindle


Resumo

Resumo: O comportamento sedentário pode ser influenciado por diversos fatores. No entanto, pouco ainda se sabe sobre quais os correlatos do tempo total, breaks (interrupções) bouts (séries) deste comportamento na população pediátrica. O objetivo do estudo foi investigar os potenciais correlatos do padrão do comportamento sedentário objetivamente medido em adolescentes. Estudo de base escolar e corte transversal envolvendo uma amostra representativa de escolares dos sextos anos do ensino fundamental II de dez escolas públicas do município de Londrina. Adolescentes foram monitorados por sete dias consecutivos por meio de acelerômetros para a determinação do padrão do comportamento sedentário, o qual foi expresso em tempo total em atividades sedentárias, bouts longos (≥15 minutos) e breaks. Medidas antropométricas e a aplicação de um instrumento auto administrado permitiram o levantamento de informações dos correlatos a serem investigados, os quais foram organizados dentro dos domínios do modelo sócio-ecológico (i. demográfico e biológico; ii. psicológico e emocional, iii. comportamental; iv. social e cultural; v. ambiente físico). Teste t para amostras independentes e o teste de Qui-Quadrado foram adotados para a verificação de eventuais diferenças ou associações das variáveis em função do sexo. Análises de regressão linear foram conduzidas para se identificar potenciais correlatos do padrão do comportamento sedentário. Para os meninos o IMC (β= 0,420), a percepção de saúde (β = 7,930) e as atividades sedentárias de lazer (β = 0,285) se constituíram como preditores positivos do tempo sedentário, enquanto a presença de locais para a prática de atividades físicas foi um preditor negativo desta variável (β= -0,409). Quanto aos breaks, apenas o nível econômico foi um preditor significante, relacionando-se de forma inversa a esta variável (β = -2,055). A idade e a percepção de saúde foram os únicos preditores de breaks entre os meninos (β = -0,710 e -1,3360). Para meninas, atividades sedentárias no lazer (β = 0,310) e o apoio dos amigos à prática de atividades físicas (β = 0,630) se constituíram como preditores do tempo sedentário. Percepção da qualidade de vida, satisfação com o peso, atividades sedentárias no lazer, prática de esportes na infância e apoio de amigos para a prática de atividades físicas foram preditores tanto de bouts prolongados como de breaks (P<0,05). Locais para a prática de atividades físicas no bairro também se constituiu como um significante preditor de breaks entre as meninas. Uma série de correlatos foram identificados, os quais parecem ser específicos ao sexo. Assim, estratégias voltadas às mudanças no padrão do comportamento sedentário devem ser elaboradas considerando estas particularidades.

Endereço: http://www.bibliotecadigital.uel.br/document/?code=vtls000216189

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.