Corrida de Rua e Maratona: Uma Abordagem Sociocultural

Por: Diogo Barbosa de Albuquerque.

127 páginas. 2018 20/03/2018

Send to Kindle


Resumo

A corrida de rua tida como uma manifestação corporal é apresentada como um fenômeno social contemporâneo. Diante do crescimento dos praticantes e do esporte foram reveladas maiores procuras pelos indivíduos acerca das provas de corrida, se destacando a maratona, clássica prova de corrida de rua, a qual fecha os Jogos Olímpicos desde sua origem, observada como um símbolo importante para os corredores, especialmente os amadores. É uma modalidade de atividade física já consolidada na sociedade quando se trata dos benefícios fisiológicos e metabólicos, entretanto demais benefícios são conquistados com a prática. É edificante o olhar sobre a corrida de uma forma mais subjetiva, buscando abraçar o universo social e cultural que os sujeitos corredores estão envolvidos, e isso perpassa por algo inerente ao ser humano. Com isso, o estudo teve por objetivo conhecer e discutir as emoções e sentimentos dos maratonistas amadores da cidade do Recife-PE, com o intuito de compreender os motivos de adesão à prática e realização de uma maratona, além de identificar uma possível tendência a respeito da dependência da corrida de rua por parte desses corredores. Trata-se de uma pesquisa descritiva de campo, com abordagem qualitativa, a qual participaram 35 sujeitos com faixa etária entre 27 e 59 anos de idade, maratonistas amadores da cidade do Recife-PE. O artigo 3 seguiu um percurso metodológico um pouco distinto. Trata-se de um estudo descritivo, com abordagem quali-quantitativa, a qual participaram os mesmos 35 maratonistas da cidade do Recife-PE. Foi aplicado questionário de variáveis sociais e demográficas, questionário de dependência da corria de rua e realizada entrevista semiestruturada com gravador de voz. Os questionários foram tabulados pelo programa Microsoft Excel e as entrevistas transcritas. A apreciação dos dados se deu por meio da Análise de Conteúdo de Bardin (2011), expostas a partir da criação de quadros categóricos analíticos, subdivididos a partir das categorias e subcategorias de análise. A partir da criação das categorias, foram elaborados diagramas com o auxílio do software GoDiagram para os artigos 1 e 2. Para o artigo 3, a partir do score obtido no questionário de dependência da corrida de rua calculou-se o score Z, para classifica-los em relação a tendência de se tronarem dependentes da corrida de rua. Além disso, para gerar uma comparação, foram recortados trechos das falas dos sujeitos, expostos numa tabela. A dinâmica de apresentação dos resultados e discussão adota o modelo de artigos, em número de três, a saber: Maratona: estudo qualitativo acerca das emoções e sentimentos apresentados por corredores amadores; Corrida de rua e maratona: um estudo comparativo dos motivos que movem suas práticas; Dependência da corrida de rua por maratonistas amadores: uma análise quali-quantitativa. Dentre os resultados obtidos, destaca-se as emoções e sentimentos positivos vastamente superiores em comparação aos negativos em todas as fases da prova de maratona, nos períodos antes, durante e após, como também os fatores sociais se mostraram relevantes como motivações de adesão à corrida e realização da prova de maratona. Além disso, maior parte dos sujeitos participantes foram classificados por apresentarem tendência mínima ou nenhuma para a dependência da corrida de rua, seguidos do grupo classificado por apresentarem tendência parcial para a dependência.

Endereço: http://w2.portais.atrio.scire.net.br/upe-papgef/index.php/pt/mestrado-academico/dissertacoes-mestrado-academico

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.