Crescimento Físico dos Adolescentes da Cidade de Maputo

Por: Pedro Pessula.

VII Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

Introdução: Moçambique tem utilizado tabelas percentílicas da OMS e da NCHS como padrão de crescimento. Essas tabelas não reflectem com exactidão a realidade do país, daí a necessidade de se elaborarem padrões de referência locais. Objectivo: Descrever o comportamento das variáveis antropométricas que caracterizam o crescimento em relação ao sexo, idade e o estado maturacional. Metodologia: Foi realizado um estudo transversal descritivo e exploratório na base da descrição dos factores que influenciam o crescimento. Aamostra foi constituída por 191 alunos de ambos os sexos na faixa etária 14 e 16 anos. As variáveis estudadas foram o peso, a altura, o sexo, a idade e o estado maturacional. Para a colheita de dados foram usadas as técnicas de entrevista e a observação não participativa. Conclusão: Com base nos resultados obtidos, concluímos que existem diferenças significativas entre os rapazes e as raparigas na altura, sendo os primeiros os que apresentam maior média. No peso não se registaram diferenças significativas entre os dois gêneros. Entre os diversos grupos maturacionais registaram-se diferenças significativas, onde os pós púbere apresentam maiores escores em peso e altura. Isto não contraria as conclusões obtidas por vários especialistas desta área. Comparativamente aos estudos realizados em outros países, conclui-se que há diferenças significativas apenas no peso das raparigas em relação aos de Santo André.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.