Crescimento, Maturação, Aptidão Física, Força Explosiva e Habilidades Motoras Específicas. Estudo em Jovens Futebolistas e Não Futebolistas do Sexo Masculino dos 12 Aos 16 Anos de Idade

Por: J. A. Maia, R. Garganta e Seabre A.

Revista Portuguesa de Ciências do Desporto - v.1 - n.2 - 2001

Send to Kindle


Resumo

ABSTRACT Growth, maturation, physical fitness, explosive strength and specific motor skills. A study in Portuguese young soccer players and sedentary young people from 12 to 16 years old. This study had the following purposes: to investigate the impact of selection and training on body build, physical fitness (PF), explosive strenght (ES) and specific motor skills (SMS) in Portuguese young soccer players. Sample included 226 subjects, 12 through 16 years of age, divided in 3 groups (G1-infants; G2-beginners; G3-juveniles) of soccer players (SP) and sedentary subjects (SS) of the same age. Somatic measures included height, weight, girths, breadths and skinfolds. Body composition assessed fat mass and the lean mass with Boileau et al. (1985) formula. Somatotype was rated according to the Heath-Carter method (1967). Genital development was evaluated by the Tanner method (1962). Physical fitness was measured by the AAHPERD (1987) test battery performance related. The evaluation of the ES was accomplished through the Bosco (1983) procedures, and SMS with the test battery of the Federação Portuguesa de Futebol (1986). Statistical procedures included: mean, standard deviation, Qui-Square, the t-test and ANCOVA. In G1 maturation, selection and training had no relevant effect favouring SP in comparison with SY in the somatic structure and ES. On the contrary, it was verified that training had an impact on SP in the great majority of components of the PF except standing long jump and 12 minute run. In G2 maturation, selection and training had no effect favouring SP, in the weight, meso and ecto somatotype components, SJ and CMJ. On the other hand, on SP, training had an impact in fat mass, endomorphy and in the majority of the components of the PF, but not standing long jump and 12 minute run. In G3 there was no remarkable effect of maturation, selection and training favouring SP relatively to SY, in the endomorphy, SJ and CMJ. On the contrary, it was stated, on SP, that training had an impact in weight, in lean mass and in the great majority components of PF but not standing long jump and 12 minute run. Key Words: Growth, Maturation, Physical Fitness, Explosive strength, Motor skills. RESUMO Este estudo investiga o impacto da maturação, da selecção e do treino na estrutura somática (ES), na aptidão física (AF), na força explosiva (FE) e nas habilidades motoras específicas (HME) de jovens jogadores de futebol. A amostra é constituída por 226 sujeitos com idades compreendidas entre os 12 e os 16 anos distribuídos por 3 grupos (G1-infantis; G2-iniciados e G2-juvenis) de jogadores de futebol (JF) e de jovens sedentários (JS) do mesmo escalão etário. As medidas somáticas analisadas incluíram a altura, o peso, os perímetros, os diâmetros e pregas de adiposidade subcutânea que permitiram estimar dois compartimentos da massa corporal e o somatótipo. O desenvolvimento genital foi avaliado através das tabelas descritas por Tanner (1962). A AF foi avaliada pela bateria de testes da AAHPERD relacionada com a performance e descrita em Kirkendall et al. (1987). A avaliação da FE foi realizada através do protocolo descrito por Bosco et al. (1983). As HME foram avaliadas de acordo com a bateria de testes da Federação Portuguesa de Futebol (1986). Os procedimentos estatísticos incluíram a média aritmética, desvio-padrão, tteste de medidas independentes e a ANCOVA. No G1 a maturação, a selecção e o treino não tiveram um efeito significativo favorecendo os JF relativamente aos JS na estrutura somática e na força explosiva. Pelo contrário, constatou-se que o treino tinha um impacto nos futebolistas na grande maioria das componentes da AF, à excepção da força inferior e resistência aeróbica. No G2 a maturação, a selecção e o treino não tiveram um efeito favorecendo os JF no peso, no mesomorfismo, no ectomorfismo, no SE e no SCM. Pelo contrário, nos futebolistas, o treino tinha um impacto, na massa gorda, no endomorfismo e na grande maioria das componentes da AF, exceptuando a força inferior e resistência aeróbica. No G3, e de igual forma, não houve um efeito marcado da maturação, da selecção e do treino favorecendo os JF relativamente aos JS no endomorfismo, no SE e no SCM. Contudo, constatou-se, através dos resultados apresentados pelos futebolistas, que o treino tinha um impacto no peso, na massa magra, e na grande maioria das componentes da AF, exceptuando a força inferior e a resistência aeróbica. Palavras-chave: Crescimento; Maturação; Aptidão Física; Força Explosiva; Habilidades Motoras.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.