Crianças, Vamos ao Parque? - Percepções Sobre a Utilização de Parques Públicos por Crianças

Por: , Paula Silva e Simone Medeiros de Oliveira.

Revista Brasileira de Atividade Física & Saúde - v.23 - n.1 - 2018

Send to Kindle


Resumo

Parques públicos localizados em áreas urbanas podem contribuir para maiores oportunidades de atividade física das crianças. Conhecer a utilização dessas áreas verdes urbanas pelas crianças, bem como a percepção destas acerca da atividade física nos parques pode facilitar a elaboração de estratégias de promoção da saúde das crianças através da atividade física nos parques. O objetivo deste estudo foi descrever a utilização de parques por criança para a prática da atividade física, bem como suas percepções sobre a atividade física nos parques. Para tal recorreu-se a uma metodologia de caráter quali-quantitativo. Os dados quantitativos sobre a utilização de dois parques foram obtidos através do instrumento SOPARC. Os dados qualitativos sobre a percepção das crianças (10 a 12 anos) foram obtidos através de quatro grupos focais. Para análise dos dados quantitativos recorreu-se ao teste do qui-quadrado e de Mann-Whitney; o tratamento dos dados qualitativos foi realizado por análise temática de conteúdo. Os resultados não evidenciaram diferença na utilização dos parques pelas crianças, contudo indicam uma reduzida utilização destas áreas pelas crianças (Parque 1 = 20,9% versus Parque 2 = 11,0%), especialmente no inverno (Parque 1 = 15,4% versus Parque 2 = 4,5%). O discurso das crianças revelou que estas utilizam o parque para a prática da atividade física recreativa, bem como o prazer em praticarem atividade física nestes locais. A promoção de estratégias que favoreçam uma maior utilização dos parques pelas crianças poderá contribuir para o aumento da atividade física das crianças.

Referências

1. Kohl HW, Craig CL, Lambert EV, Inoue S, Alkandari JR, Leetongin G, et al. Epandemic of physical inactivity: global action for public health. Lancet. 2012;380(9838):294-05.
2. Klinker CD, Schipperijn J, Christian H, Kerr J, Ersboll AK, Troelsen J. Using accelerometers and global positioning system devices to assess gender and age differences in children’s school, transport, leisure and home based physical activity. Int J Behav Nutr Phys Act. 2014;11:8.
3. Carson V, Hunter S, Kuzik N, Gray CE, Poitras VJ, Chaput JP, et al. Systematic review of sedentary behaviour and health indicators in school-aged children and youth: an update. Appl Physiol Nutr Metab. 2016;41(6 Suppl 3):S240-65.
4. Loprinzi PD, Cardinal BJ, Loprinzi KL, Lee H. Benefits and environmental determinants of physical activity in children and adolescents. Obes Facts. 2012;5(4):597-10.
5. ""

Endereço: http://www.rbafs.org.br/RBAFS/article/view/12324

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.