Cultura e Ciência no Campo da Educação Física: Um Estudo Histórico da Cultura Corporal/esporte/ Lazer nos Sistemas de Ensino Privado e Público da Bahia.

Por: Patrícia Valéria Melo Carteado de Olveira.

57ª Reunião Anual da SBPC

Send to Kindle



INTRODUÇÃO:

A pesquisa investiga a produção de conhecimentos históricos-sociais das culturas corporal/esporte/lazer e a constituição da Educação Física, oportunizando o levantamento das fontes, catalogação, sistematização e divulgação de conhecimentos que retratam este campo na Bahia/Salvador relacionando este conhecimento com o mundo do trabalho, no sistema educacional privado e público. Organizar a catalogação e acesso a fontes historiográficas e ao acervo bibliográfico levantado, concernentes aos saberes que participam e dão sustentação e sentido ao campo de conhecimento e de intervenção da Educação Física, Esporte e Lazer. Justifica-se por contribuir na afirmação deste conhecimento das culturas corporais/esporte e lazer como acervo histórico da humanidade, traço de identidade da cultura brasileira, patrimônio histórico que constitui e fundamenta este campo de conhecimento. O período justifica-se pela caracterização a partir das relações concretas da materialidade social, iniciando em 1973, quando surge o primeiro curso de Educação Física da Bahia (UCSal) até hoje com dezoito (18) instituições de ensino superior de Educação Física no Estado. Mostra-se relevante por contribuir para o levantamento, preservação e divulgação fontes documentais e orais que testemunhem a História da Educação Física, do esporte e Lazer em Salvador.

METODOLOGIA:

Tratando-se de uma pesquisa histórica, utilizamos, sobretudo, fontes primárias e secundárias, obtidas, principalmente, nos arquivos da Biblioteca Central do Estado da Bahia; Biblioteca Central da Universidade Federal da Bahia e Arquivo Público Municipal. Fizemos também um levantamento da legislação, a partir da Coleção das Leis da Bahia e dos boletins escolares, os conflitos, o trabalho, as sistematizações e as mudanças ocorridas ao longo da história. Rasteamos fontes, primárias e secundárias,como:
- Coleção de leis do Estado da Bahia e dos órgãos legislativos superiores da Colônia e do Império;
- Documentos dos Órgãos Públicos responsáveis pela administração escolar e central;
- Acervos públicos Estaduais, municipais e escolares, com mapeamento dos registros oficiais;
- Fontes iconográficas; Imprensa; Acervos pessoais disponibilizados em Museus;
- Fontes secundárias: obras de divulgação científica e cultural, comentários de manuais escolares, compilações e etc. Catalogação temática e cronológica. O levantamento e a catalogação proposta basearam-se em critérios temáticos e cronológicos de organização. Além destes documentos, lançamos mão da história oral temática por considerar que ela oportuniza a constituição e fundamentação desta área do conhecimento como acervo histórico da humanidade, traço de identidade e expressão da cultura brasileira, portanto, seu patrimônio histórico.

RESULTADOS:

• Rastreamento e tratamento catalográfico das fontes documentais;
• Interpretação da Educação Física no processo e adaptação do sistema educacional público e privado baiano às exigências legais, de 1973 até o momento atual;
• Constatação da escassez de fontes escritas (documentos e registros) para auxiliar neste registro histórico;
• Rastreamento e registro de pessoas que ajudaram a produzir a história da educação física nas instituições privadas e públicas da Bahia e de sua constituição como campo acadêmico/científico, para aprofundamento do estudo em outras pesquisas;
• Modificação progressiva da concepção de Educação Física como prática social e parte dos conhecimentos indispensáveis para se entender a sociedade como totalidade;
• Confecção de relatório de pesquisa e de exposições fixas a partir das temporárias;
• Pouca consideração ao que diz respeito à produção cultural do povo brasileiro, especialmente as de origem indígena e afro-brasileira;
• Predominância curricular da cultura européia/norte-americana referentes à cultura corporal, esportiva e de lazer;
• Implementação e funcionamento do grupo de estudo, de oficinas e núcleo pedagógico;
• Já existe em alguns instituições públicas e privadas de ensino da Bahia o trato com a Capoeira como escolinhas esportivas e não como conteúdo curricular da Educação Física;
• constatou-se que o conteúdo das aulas de Educação Físicas na maioria das referidas instituições estão vinculados com o trato dos esportes institucionalizados meramente, sem oportunizar outras formas de vivências corporais aos estudantes.


CONCLUSÕES:


Podemos concluir que existe na Bahia uma carência no que diz respeito ao estudo histórico, sistematizado e catalogado das manifestações da cultura corporal, Educação Física, Esporte & Lazer. Constatamos o pouco tratamento pedagógico e científico das instituições de ensino público e privado à cultura brasileira produzida pelos povos indígenas e afro-brasileiros e largamente utilizados pela maioria da população. Neste sentido, necessitamos de se empreender estudos acadêmicos/científicos e pedagógicos a respeito deste rico acervo cultural que está sendo marginalizado do espaço das letras, desconsiderado pela ciência e pela educação como importantes elementos culturais e de identidade de nosso povo. Em contrapartida, a esta carência é possível detectar, através de idas a campo, entrevistas, visitas as instituições de ensino superior e acervos públicos de Salvador e do Estado, que existe uma riqueza de manifestações destas práticas culturais populares, a exemplo da Capoeira, do Samba de Roda, do Maculelê, do Baião, juntamente com a realização de outras atividades da cultura corporal, como os esportes, que precisam ser pesquisados, catalogados, sistematizados e publicados. Importa, pois ampliar a pesquisa histórica em relação a estas manifestações na Bahia de forma a contribuir com o acúmulo de futuras fontes de pesquisa e abertura de programas de Pós-graduação em Educação Física no Nordeste do Brasil. Este é um importante campo que precisa ser ampliado e aprofundado.

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.