Currículo e avaliação na Educação Física: do mergulho à intervenção

Por: Wagner dos Santos.

1Ed. 182 páginas. Proteoria. 2005

Send to Kindle


Sobre a Obra

APRESENTAÇÃO

Pura Lúcia Oliver Martins

As discussões em torno do aluno-sujeito, historicamente situado, portador de uma prática social a ser considerada pela escola, assumem centralidade nos meios escolares entre seus agentes e nos meios acadêmicos entre os estudiosos da área, nos últimos vinte e cinco anos. Assiste-se, sobretudo na década de oitenta, a uma intensificação dos movimentos sociais que criam novas formas de luta e influenciam sobremaneira a organização do trabalho pedagógico dos professores, a concepção de formação escolar e o significado social da escola.

Nesse período, é marcante a definição de políticas públicas de educação em nível nacional, estadual e municipal, numa perspectiva inclusiva e democrática, valorizando o trabalho coletivo na constituição dessa nova escola, como a Escola Plural de Belo Horizonte-MG, a Escola Cidadã de Porto Alegre-RS, a Escola Balaia de Belém-PA, a Escola Candanga de Brasília-DF e a Escola Sem-Fronteiras de Blumenau-SC, entre outras.

As concepções de educação/escola dessas propostas colocam a prática social dos seus agentes — professores e alunos — no centro de sua organização, tendo em vista o desenvolvimento de uma formação crítica e comprometida com a realidade social em que se inserem.

Com efeito, nesse período, as produções teóricas dos educadores vão expressar tentativas de responder a essas novas exigências. Muitos estudos e pesquisas centrados na prática pedagógica das escolas, sobretudo de Ensino Fundamental, desenvolvem alternativas para o ensino voltadas para a lógica, os interesses e as necessidades práticas de boa parte dos sujeitos que constituem a escola...

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.