Das Torcidas Jovens às Embaixadas de Torcedores: Uma Análise das Novas Dinâmicas Associativas de Torcer no Futebol Brasileiro

Por: Ana Luisa Queiroz, Anna Luiza Azevedo e Bernardo Borges Buarque de Hollanda.

Recorde: Revista de História do Esporte - v.7 - n.1 - 2014

Send to Kindle


Resumo

O presente artigo analisa as novas marcas da configuração do público de futebol no Brasil contemporâneo. De início, empreende-se uma reflexão geral sobre o fenômeno de pertença aos grupos de torcedores organizados, integrados tradicionalmente por jovens do sexo masculino. Em seguida, apresenta-se um apanhado histórico, antropológico e sociológico que visa compreender a maneira pela qual se consolidou a presença de contingentes juvenis nesses agrupamentos. Se as torcidas organizadas costumam ser associadas pelos meios de comunicação de massa a condutas antissociais de vandalismo e a práticas de violência, o intuito do artigo é, sem negar sua existência, desconstruir parte dessa imagem unidimensional e estereotipada. Propõe-se, para tanto, na parte final deste artigo, uma incursão etnográfica a uma “embaixada” de torcedores do Internacional de Porto Alegre, com a observação da fruição do jogo e do seu modo de socialização em um bar da zona sul do Rio de Janeiro.
 

Endereço: http://www.revistas.ufrj.br/index.php/Recorde/article/view/1235

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.