Descontinuidades e Continuidades do Movimento Higienista no Brasil do Século Xx

Por: e .

IX Congresso Brasileiro de História do Esporte, Lazer e Educação Física CHELEF

Send to Kindle


Resumo

PROBLEMA: No fim do século XIX e início do século XX chegava ao Brasil, mediante reapropriações e reinterpretações, um novo ideal cujo eixo era a preocupação com a saúde da população, coletiva e individual. Suas propostas residiam na defesa da Saúde e Educação Pública e no ensino de novos hábitos higiênicos. Convencionou-se chamá-lo de “movimento higienista” (SOARES, 1990) ou “movimento sanitarista” (HOCHMAN, 1998). Este movimento tem uma idéia central que é a de valorizar a população como um bem, como capital, como recurso principal da Nação (RABINBACH, 1992). A idéia de que um povo educado e com saúde é a principal riqueza da Nação chega com força a nossos dias e ainda aglomera em torno de si forças que se sentem progressistas. Testamos a hipótese de que seus pressupostos continuariam em voga até o fim do século XX, contrariando a tese de que o movimento teria se encerrado na década de 30 ou 40. MÉTODO: Realizamos uma pesquisa histórica comparando os ideais dos chamados higienistas do início do século XX, com os dos atuais intelectuais do campo da Saúde e Educação Física no Brasil. CONCLUSÕES: Deste modo, defendemos a tese de que o “movimento higienista” ou sanitarista do início do século XX no Brasil extrapola a periodização tradicional que lhe imputa o término nos anos 30 ou 40, e prossegue com seus ideais heterogêneos até o fim do século XX.

Endereço: http://cev.org.br/biblioteca/anais-do-ix-congresso-brasileiro-de-historia-do-esporte-lazer-e-educacao-fisica-chelef

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.