Desempenho Motor de Lactentes com Hipotireoidismo Congênito Acompanhados em Um Serviço de Referência em Triagem Neonatal

Por: Michelle Prado Cabral do Ouro.

59 páginas. 2012 30/08/2012

Send to Kindle


Resumo

O hipotireoidismo congênito (HC) foi definido como uma deficiência de hormônios tireoidianos, presente ao nascimento, resultando em uma generalizada redução dos processos metabólicos. Embora a literatura aponte para repercussões do HC no desempenho motor em idade escolar e acima, são escassos os estudos nos primeiros meses de vida, quando a intervenção oportuna seria possível. O objetivo do estudo foi analisar o desempenho motor de lactentes com HC, acompanhados em um Serviço de Referência em Triagem Neonatal (SRTN) brasileiro. O estudo foi transversal, observacional do tipo caso-controle. Participaram 33 lactentes com HC (idade média 12±6,4 meses) e 32 lactentes (idade média de 13±4,6 meses) sem HC compondo do grupo controle, Os grupos foram avaliados quanto ao desempenho motor grosso e fino (Screening Test of Bayley Scales of Infant and Toddler Development-III). Para a análise de dados independentes utilizou-se o teste t de Student e Mann-Whitney. Para análise de correlação foi aplicado o Teste de Correlação R de Spearman. Para saber o efeito do HC na motricidade foi utilizado o método Cohen´s d que é uma medida de efeito (effect size). O nível de significância adotado foi de 5%. Os resultados indicaram que 75% das crianças com HC fizeram o teste do pezinho em até 4,5 dias de vida, 75% fizeram o exame confirmatório em até 19 dias, e 50% iniciaram a medicação até o 19º dia e 75% em até 26 dias de vida. A classificação desempenho em risco só ocorreu em lactentes do grupo HC. Não foi observada associação entre o desempenho motor grosso entre os grupos na motricidade grossa (p=0,526). Foi observada associação significativa no desempenho em motricidade fina entre os grupos (p=0,019). Não foi evidenciada diferença significativa entre os grupos nos escores médios da motricidade grossa (p=0,132) e da motricidade fina (p=0,104). Entretanto foi possível identificar que o HC tem efeito moderado tanto para motricidade fina (d=0,42) como grossa (d=0,39). Não houve correlação entre a classificação do desempenho motor e as dosagens de hormônios tireoidianos e idade de início do tratamento. O estudo permitiu concluir que lactentes com HC acompanhados em SRTN com bons indicadores de idade de diagnóstico e início do tratamento apresentaram desempenho motor fino inferior ao GC e efeito moderado do HC sobre o desempenho motor do grupo HC. Conclui-se que o HC pode afetar o desempenho motor de lactentes, especialmente nas habilidades motoras finas, indicando a necessidade de avaliações do desenvolvimento motor para lactentes com HC, complementarmente ao acompanhamento de rotina que ocorre nos SRTN.

Endereço: https://www.unimep.br/phpg/bibdig/aluno/visualiza.php?cod=936

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.