Desempenho Muscular Isocinético e Nível de Fadiga de Indivíduos com Linfoma de Hodgkin em Diferentes Intervalos de Recuperação

Por: Ritielli de Oliveira Valeriano.

68 páginas. 2015 13/07/2015

Send to Kindle


Resumo

Estudos apontam o treinamento resistido (TR) como uma alternativa importante na diminuição dos efeitos deletérios decorrentes do tratamento oncológico, como a perda de massa muscular e a fadiga. No entanto, o manejo das diversas variáveis de um programa de TR para indivíduos com neoplasias malignas, como, por exemplo, o intervalo de recuperação (IR) ideal entre as séries para maximizar a resposta ao treinamento, ainda não está claro. Objetivo: Avaliar os efeitos agudos de diferentes IR no desempenho muscular e nível de fadiga de sobreviventes de linfoma de Hodgkin. Materiais e métodos: Nove sobreviventes de linfoma de Hodgkin (GL), 34,7 ± 10,8 anos, que haviam concluído o tratamento há, pelo menos, seis meses, sendo quatro homens e cinco mulheres, participaram da investigação. Um grupo de indivíduos aparentemente saudáveis (34,5 ± 12,0 anos), pareados por idade e sexo foi recrutado e designado como grupo controle (GC). Todos os indivíduos realizaram três séries de 10 repetições isocinéticas de extensão unilateral de joelho a 60°/s, em três dias distintos, com três diferentes IR entre séries (1, 2 e 3 min), de forma aleatória e balanceada. Resultados: Uma ANOVA de dois fatores com medidas repetidas demonstrou um efeito significante do IR (p=0,02), das séries (p=0,001) e da interação IR x séries (p<0,001), sobre a variável pico de torque (PT), na extensão unilateral de joelho. O GL apresentou apenas nos IR de 1 e 2 min, um declínio significante do PT da 3a séries em relação a 1ª e à 2ª. No GC foi observado um declínio significante do PT entre todas as séries do IR de 1 min e nos IR de 2 e 3 min, o declínio foi significante apenas da 3ª para a 2ª série. Não houve diferença significante no nível de fadiga, na comparação entre grupos. Conclusão: Sugere-se que os sobreviventes de linfoma de Hodgkin necessitem de IR de pelo menos três minutos, visando uma adequada recuperação entre séries permitindo assim uma redução mínima nos valores de PT e TT, durante 3 séries de 10 repetições isocinéticas de extensão unilateral de joelho a 60°/s. 

Endereço: http://repositorio.unb.br/handle/10482/18927

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.