Desenvolvimento Motor e Percepção de Competência Atlética : Um Estudo com Crianças Entre 8 e 10 Anos da Rede Pública de Ensino

Por: Schelyne Ribas Silva.

2009 26/02/2009

Send to Kindle


Resumo

O objetivo desta pesquisa, de delineamento transversal, foi investigar o nível da competência motora, da percepção de competência atlética e do estado nutricional de escolares entre 8 e 10 anos e suas possíveis relações. A amostra do estudo foi composta por 481 escolares (250 meninos e 231 meninas) na faixa etária entre 8 e 10 anos, da rede pública de ensino da cidade de Maringá - PR. Como instrumentos utilizou-se o teste motor Teste of Gross Motor Development 2 (TGMD- 2) de Ulrich (2000), o questionário de Percepção de Competência- Pictorial Scale of Perceived Competence and Social Acceptance (HARTER, 1985), e avaliação do estado nutricional (IMC) por meio do peso e estatura, tomando como referência Cole (2000). Para a análise dos dados utilizou-se a analise descritiva de mediana e intervalo interquartílico, frequência absoluta e relativa, e os testes: Shapiro-Wilk, Mann-Whitney, Qui- quadrado, Exato de Fisher, correlação de Spearman e análise de variância One Way ANOVA com post hoc Bonferroni, adotando p< 0,05. Os resultados indicaram que de modo geral meninos e meninas foram classificados com desenvolvimento motor Muito Pobre. Nas habilidades de locomoção os escores foram semelhantes entre os gêneros (3,0), nas habilidades de controle de objetos e quociente motor os meninos apresentaram maiores escores em relação à meninas (6,0-5,0; 67- 64 respectivamente). As diferenças significativas entre os gêneros foram observadas nas habilidades de controle de objeto (p=0,001) e quociente motor (p=0,000). Em relação a idade, os meninos mais novos e as meninas mais velhas demonstraram ter maiores escores nas habilidades de locomoção (4,0-4,0 respectivamente) e no quociente motor (70- 64 respectivamente). Nas habilidades de controle de objetos os melhores escores foram alcançados pelos meninos mais velhos e meninas mais novas (6,0-5,0 respectivamente). Ao verificar a percepção de competência atlética da amostra, foi identificada superioridade significativa (p=0,015*) dos meninos em relação à meninas e, quando comparadas à idades, observou-se uma diminuição dos escores com o aumento da idade cronológica. No estado nutricional 25,6% da amostra apresentaram sobrepeso (14,3% meninos e 11,3% meninas). Os meninos de 9 anos (34%) e as meninas de 10 anos (32,7%) apresentaram maior percentual de sobrepeso em relação às faixas etárias. Não foram identificadas associações significativas entre as variáveis estudadas. Quanto à correlação, os resultados demonstraram que houve baixa correlação negativa, mas significativa, do quociente motor com o IMC (-0,18*) apenas no gênero masculino. Quando agrupada a amostra, identificou-se baixa correlação significativa negativa do quociente motor com o IMC (-0,14*) e baixa correlação significativa positiva da percepção de competência atlética com as habilidades de locomoção (0,10*). Conclui-se que a estimulação motora proporcionada às crianças do estudo, parece ter sido ineficaz, até o momento, para melhora do desenvolvimento motor, da percepção real da sua competência atlética e o estado nutricional adequado às idades.

Endereço: http://nou-rau.uem.br/nou-rau/document/?code=vtls000170748

Ver Arquivo (PDF)

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.