Desordem Coordenativa Desenvolvimental em Crianças de 7 e 8 Anos de Idade

Por: Cristiani de França.

2008

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi caracterizar o desempenho motor de crianças e investigar a prevalência de Desordem Coordenativa Desenvolvimental. A população deste estudo foi representada por todas as 4.255 crianças de 7 e 8 anos de idade, de ambos os sexos, regularmente matriculadas nas 37 escolas, básicas e desdobradas, da rede pública municipal da cidade de Florianópolis, capital de Santa Catarina. A amostra final foi composta por 417 crianças. O instrumento utilizado foi o Movement Assessment Battery for Children - M-ABC. Para caracterizar a prevalência e a severidade das dificuldades motoras das crianças foi utilizada estatística descritiva de distribuição de freqüência. Para verificar as associações de prevalência de DCD entre as idades e sexo, foi utilizado o teste do Qui-quadrado (X²) e o coeficiente de Cramer’s V. Para verificar a diferença entre os grupos (sexo e idade) no desempenho motor total das tarefas do M-ABC foi utilizada a Análise de Variância (ANOVA two-way). Para verificar em que tipos de habilidades motoras as crianças demonstraram um desempenho melhor foi utilizada a ANOVA para medidas repetidas. Para analisar as diferenças gerais entre os grupos em um conjunto de variáveis dependentes (que constituem os tipos de habilidades de acordo com o teste M-ABC) e depois fragmentar as análises por variável dependente (destrezas manuais, equilíbrio e habilidades com bolas) foi utilizado a Análise Multivariada de Variância, assim como para verificar os efeitos interativos das variáveis de sexo e idade. Ambas as análises de variância foram feitas utilizando um modelo com duas variáveis independentes, sexo e faixa etária (2X2). Para todas as análises estatísticas foi adotado o nível de significância de 5%. Os resultados demonstraram que 10,8% das crianças foram indicadas com DCD e 12% apresentou risco de DCD. Os resultados indicam que as crianças apresentaram mais dificuldades motoras nas habilidades relacionadas às destrezas manuais. As análises revelaram uma diferença estatisticamente significativa entre os sexos e entre as idades. Ao analisar as variáveis dependentes individuais, separadas por meio da análise dos efeitos principais, pode-se observar que houve diferença estatisticamente significativa entre os sexos e as idades somente para as habilidades com bola. Estes resultados sugerem que os meninos tiveram o desempenho melhor nas habilidades com bola, assim como as crianças com 8 anos. A prevalência de crianças com DCD nas escolas municipais de Florianópolis – SC – Brasil, excedeu aos 4-6% de prevalência de DCD nas crianças de 5 a 11 anos apontado pela literatura. A identificação precoce de crianças com dificuldades motoras é essencial para o embasamento de estratégias de intervenção por profissionais da área.

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.