Determinação do Perfil Dermatoglífico, Somatotípico e Força de Membros Superiores e Inferiores de Atletas Brasileiros de Judô Deficientes Visuais

Por: Francisco Grosso.

243 páginas. 2006

Send to Kindle


Resumo

O objetivo deste estudo foi identificar o perfil dermatoglífico, somatotípico e de força de membros superiores e inferiores de atletas de judô brasileiros masculinos deficientes visuais, com a intencionalidade de que os resultados aqui obtidos possam influenciar na compreensão fenomenológica e axiológica dos aspectos motrizes do Ser praticante de judô em todos os seus níveis de complexidade. O presente estudo insere-se no Programa de Pós-Graduação em Ciência da Motricidade Humana, com enfoque Bio-Físico da Motricidade Humana, na área temática de Treinamento da Performance Motora e de Alto Rendimento, dentro da linha de pesquisa Dermatoglifia, Somatotipia e Qualidades Físicas Básicas da Performance Motora. Este estudo caracterizou-se como uma pesquisa descritiva que pode ser classificada como do tipo perfil ex post facto. Os sujeitos para este estudo foram selecionados entre os participantes do Campeonato Brasileiro para Cegos organizado pela ABDC, realizado em Maio 2005 na cidade de São Paulo. Constituiu-se de 42 atletas do sexo masculino divididos em sete categorias de peso corporal. Para análise de resultados, o estudo observou as condições básicas do tratamento estatístico para a manutenção da cientificidade da pesquisa, consideraram-se primeiramente as categorias de peso, em ordem crescente, sendo que a categoria pesado formou sozinha um grupo. As variáveis apresentaram as seguintes médias e desvios padrões para o grupo como um todo: Preensão manual 41,08 +- 8,66 Kgf, Impulsão vertical 36,21 +- 13,00, Desenho tipo arco (A) 1,4%, desenho tipo presilha (L) 71,7%, desenho tipo verticilo (W) 26,9%, delta 10 (D10) 12,55 +- 2,71, somatório da quantidade de linha (SQTL) 114,19 +- 29,15. As características Somatotípicas apresentaram os seguintes resultados: Endomorfia: 5,26 +- 2,20, Mesomorfia: 5,31 +- 1,51, Ectomorfia: 1,64 +- 1,31. Com relação às formulas digitais, encontrou-se o seguinte resultado percentual médio: 10A de 0,0%, AL de 2,4%, ALW de 9,5%, 10L de 26,2%, L=W de 14,3%, 10W de 0,0%, L>W de 28,6% e W>L de 19,0%. Concluiu-se que este estudo respondeu ao problema proposto, encontrando um perfil dos atletas de judô masculinos deficientes visuais do Brasil, para as variáveis propostas.

Endereço: http://www.nuteses.temp.ufu.br/tde_busca/processaPesquisa.php?pesqExecutada=2&id=2336&listaDetalhes%5B%5D=2336&processar=Processar

Comentários


:-)





© 1996-2019 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.