Determinação da Transição Metabólica Pelo Teste do Lactato Mínimo de Natação em Ratos Desnutridos

Por: e Maria Alice Rostom de Mello.

XI Congresso de Educação Física e Ciências do Desporto dos Países de Língua Portuguesa

Send to Kindle


Resumo

A desnutrição protéica é um problema de saúde pública que há tempos acomete a
população mundial, principalmente nos países em desenvolvimento. No Brasil,
mesmo regiões tidas como ricas, como por exemplo a região Sudeste, apresentam
significativa prevalência de desnutrição (6%). Em Estados pertencentes às regiões
Norte e Nordeste os índices são ainda mais preocupantes, chegando a atingir 17%
da população com menos de cinco anos de idade. Há pouca informação na literatura
sobre a capacidade bioquímica de organismos desnutridos realizarem exercício físico.
O presente estudo foi delineado para determinar a transição metabólica aeróbia/
anaeróbia (TM) através do teste do lactato mínimo (TLM), adaptado às condições
do rato em exercício de natação, em animais sedentários submetidos à desnutrição
protéica. Ratos da linhagem wistar foram separados em dois grupos, de acordo
com a quantidade de proteína na dieta: Controle (C), 17% de proteína dos 30 aos
150 dias de idade (n=10) e Desnutrido (D), 6% de proteína dos 30 aos 150 dias de
idade (n=10). Para demonstrar a eficiência da dieta hipoprotéica em induzir a
desnutrição foram avaliados: a) concentrações de albumina e proteínas totais séricas;
b) concentrações de lipídios no fígado e c) peso e comprimento corporais. Para a
determinação da TM foi utilizado o TLM adaptado às condições do rato. Foi usado
teste t de student pareado para indicar diferenças significativas entre os grupos
(p<0,05). Os ratos pertencentes ao grupo D demonstraram hipoalbuminemia
(3,8±0,4g/dL) e hipoproteinemia (4,5±0,3g/dL); fígado gorduroso (12,0±1,2mg/
100mg); baixos ganhos de peso (222,9±53,3g) e comprimento (7,3±0,9cm) corporais
quando comparados aos animais do grupo C (albuminemia: 7,4±0,4g/dL;
proteinemia: 7,5±0,2g/dL; concentração de lipídios no fígado: 4,4±0,5mg/100mg;
ganho de peso corporal: 435,7±31,4g e ganho de comprimento corporal:
11,8±0,8cm). O grupo D apresentou concentração de lactato sanguíneo
correspondente à TM (4,2±0,4mmol/L) diminuída em relação ao grupo C
(6,2±0,1mmol/L), para uma mesma carga de exercício (C=4,9±0,3 e D=4,9±0,2%
do peso corporal). A dieta hipoprotéica, utilizada no presente estudo, mostrou ser
eficiente na indução da desnutrição. Valores mais baixos de concentração de lactato
sanguíneo observados nos ratos desnutridos em relação aos animais controles, para
uma mesma carga de exercício, sugerem que a restrição protéica altera a cinética de
lactato durante o exercício de natação. Apoio Financeiro: CAPES.

Endereço: http://citrus.uspnet.usp.br/eef/uploads/arquivo/74_Anais_p395.pdf

Tags:

Comentários


:-)





© 1996-2020 Centro Esportivo Virtual - CEV.
O material veiculado neste site poderá ser livremente distribuído para fins não comerciais, segundo os termos da licença da Creative Commons.